EM CASA

EM CASA

DAHIANA DIVULGAÇÃO

DAHIANA DIVULGAÇÃO

ADAUTO NASCIMENTO

ADAUTO NASCIMENTO

domingo, 8 de dezembro de 2013

Com 3 anos de atraso, Brasil lança nesta 2ª feira satélite feito com a China

Cbers-3 vai ocupar vácuo deixado após desligamento do Cbers-2B.

Equipamento vai monitorar território brasileiro; custo foi de R$ 160 milhões.

Eduardo Carvalho
Do G1, em São Paulo

O Brasil e a China lançam na madrugada desta segunda-feira (9), à 1h26, hora de Brasília, o quarto satélite sino-brasileiro de recursos terrestres, o Cbers-3, com quatro câmeras que vão ajudar a monitorar o território brasileiro e suas transformações ao longo do tempo.

O satélite será levado ao espaço pelo foguete Longa Marcha 4B, que deve decolar da base de Taiyuan, a 760 km de Pequim, às 11h26, hora local.

 Satélite CBERS (Foto: Editoria de Arte/G1)
O lançamento acontece três anos após a data prevista inicialmente pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Inpe, de São José dos Campos (SP), que desenvolveu o projeto em parceria com a Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (Cast, na sigla em inglês).
Dificuldades para criar novas tecnologias espaciais, consideradas complexas, atrasaram o programa, segundo o diretor do Inpe, Leonel Perondi, que está no país asiático para acompanhar o envio do satélite ao espaço.
O Cbers-3 vai substituir um vácuo deixado pelo Cbers-2B, que encerrou suas atividades em 2010.
Desde então, o programa sino-brasileiro ficou sem equipamentos para fornecer imagens aos países parceiros. Também foram lançados o Cbers-1 e Cbers-2, que já não funcionam.

Quatro câmeras, de diferentes resoluções e capacidade de captação, vão coletar imagens com maior qualidade de atividades agrícolas e contribuir com o monitoramento da Amazônia, auxiliando no combate de possíveis desmatamentos ilegais e queimadas – foco de projetos ligados também ao Ministério do Meio Ambiente, como o Prodes e o Deter.

Se hoje o satélite Landsat, de propriedade da agência espacial americana (Nasa), demora 16 dias para registrar toda a Amazônia brasileira, uma das câmeras do Cbers-3 conseguirá imagens do bioma em 5 dias, com uma largura de 850 km cada. Duas das câmeras foram feitas com tecnologia 100% nacional.
“Ele vai causar uma certa revolução em termos de análise de imagens do Brasil”, disse José Carlos Neves Epiphanio, coordenador de aplicações do Programa Cbers.

A produção do equipamento custou R$ 160 milhões ao Brasil, que tem 50% de participação no Cbers-3.Distribuição gratuita de imagens
Por dia, o Cbers-3 dará 14 voltas na Terra, no sentido Norte-Sul. Cada volta dura 100 minutos, segundo o técnico do Inpe. A cada 26 dias, o satélite terá mapeado totalmente o Brasil.

A esforço dos dois países, segundo o Inpe, tem o objetivo de derrubar barreiras que impedem a criação e transferência de tecnologias sensíveis impostas por países desenvolvidos.
De acordo com Perondi, apesar da parceria com a China, dados considerados estratégicos para o governo brasileiro serão restritos ao governo do Brasil, assim como informações consideradas importantes para a China serão enviadas apenas para os chineses.

“Quando o satélite estiver sobre o país, estaremos gravando em tempo real com as quatro câmeras operando normalmente. E quando estiver sobre a China, somente eles irão gravar”, afirmou o diretor do Inpe.

A unidade do Inpe instalada em Cuiabá (MT) será responsável por receber do satélite as imagens para análise. Cerca de 200 pessoas do instituto estão envolvidas na operação do satélite.

O equipamento lançado na segunda terá vida útil prevista de três anos. O diretor do Inpe confirmou também que nos próximos dois anos será desenvolvido o Cbers-4, projeto que também deve custar R$ 160 milhões aos cofres públicos e que terá o objetivo de substituir o novo orbitador.
Imagem divulgada pelo Inpe mostra o foguete Longa Marcha 4B pronto para ser lançado na China. Satélite sino-brasileiro Cbers-3 será levado ao espaço pelo veículo (Foto: Divulgação/Inpe)
Imagem divulgada pelo Inpe mostra o foguete Longa Marcha 4B pronto para ser lançado na China. Satélite sino-brasileiro Cbers-3 será levado ao espaço pelo veículo (Foto: Divulgação/Inpe
)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...