Juninho espoliano

Juninho espoliano

DAHIANA DIVULGAÇÃO

DAHIANA DIVULGAÇÃO

IPTU 2018

IPTU 2018

ADAUTO NASCIMENTO

ADAUTO NASCIMENTO

SAAE

SAAE

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Secretaria de Infraestrutura de Ibicaraí faz manutenção de rede de esgoto


 ASCOM Ibicaraí 

A secretaria de Infraestrutura da prefeitura de Ibicaraí, está realizando obras de entroncamento de esgoto residencial, na Avenida Assis (centro), no intuito de sanar problemas de entupimento em redes antigas e que vinha gerando transtornos diversos aos moradores daquela avenida.

Na manhã de hoje, 18 de janeiro, 04 homens e 01 retroescavadeira, faziam a abertura de 40 metros de extensão naquela rua, para efetuar o entroncamento da rede de esgoto antiga, à redecentral de esgoto da cidade. "Estamos realizando este serviço de forma técnica e emergencial, a fim de que as futuras e torrenciais chuvas, não venham a prejudicar os moradores dessa avenida. Nosso prefeito Lula Brandão, cobra prioridades nas obras que são emergenciais, a fim de que, possamos amenizar o sofrimento da nossa população”. Disse o Secretário de Infraestrutura Reinaldo Rocha.

Nessa obra da avenida Assis, serão trocados 40 metros de manilhas antigas por manilhas novas.

Ibicaraí - Prefeito Lula Brandão cobra maior desempenho e comprometimento de todo seu secretariado


 ASCOM Ibicaraí 
Na tarde de ontem, quinta-feira, dia 17 de novembro, em seu gabinete na prefeitura de Ibicaraí, o prefeito Lula Brandão, esteve reunido com todo o seu secretariado e assessores, com o intuito de acelerar todas as obras que se encontram em andamento no munícipio e também, de anunciar outras que ainda estão previstas para os anos de 2019 e 2020.

Depois de várias viagens entre Salvador-Brasília-Ibicaraí, e ainda, se recuperando de problemas no nervo Ciático, Brandão, volta a arregaçar as mangas para acompanhar de perto o andamento das obras do seu munícipio, como também, para colocar em ordem as diretrizes políticas e o bom andamento dos trabalhos de cada secretaria.

Brandão cobrou empenho, determinação e o comprometimento de todos os secretários, reiterando sempre, tudo que afirmou durante a sua campanha, que o objetivo maior da sua gestão, é o crescimento da sua cidade e o bem-estar da sua população. Todos os secretários estavam presentes, com exceção apenas, do secretário de Planejamento e Finanças Flávio Campos, que se encontra em viagem.

A reunião durou em média duas horas e trinta minutos, sendo que, durante todo esse tempo, o prefeito cobrou celeridade e apoio dos secretários e assessores presentes. Questões pontuaisda secretaria de Educação, Infraestrutura e Saúde, também foram abordadas e todos os secretários capitaneados pelo prefeito Brandão se dispuseram a sanar os problemas detectados durante a reunião. "Precisamos levantar a moral da nossa gente e da nossa cidade. Somos uma equipe forte, precisamos apenas colocar o "trem" nos trilhos e darmos uma resposta adequada, em termos de AÇÕES E ATITUDES ao povo que acreditou e acredita na nossa gestão. Confio no profissionalismo de cada um de vocês aqui, presentes. Vamos à luta". Disse o prefeito Brandão.

Juninho Espoliano apresenta o MEGA SHOW "Não é Vitor" VAI SER BOCA DE CONFUSÃO


Notas médias no Enem 2018 sobem em todas as provas objetivas, menos em ciências da natureza; veja as máximas e mínimas

Em linguagens, matemática e ciências humanas, nota média dos cerca de 4 milhões de participantes é a maior desde pelo menos 2016; em ciências da natureza, pontuação média recuou de 510,6 para 493,8.
Por G1

A nota média dos mais cerca de 4 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018 cresceu em três das quatro provas objetivas, em comparação com a edição anterior. Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) na manhã desta sexta-feira (18), apenas em ciências da natureza a nota média ficou abaixo da registrada no Enem 2017.

Em redação, a nota média também caiu, mas o número de estudantes com nota mil subiu pela primeira vez desde pelo menos 2014, de 52 para 55. A quantidade de redações com nota zero sofreu uma redução de dois terços, de 309.157 para 112.559.

Nota média em linguagens
nota média520,5520,5510,2510,2526,9526,92016201720180100200300400500600
Fonte: MEC

Nota média em ciências humanas
nota média533,5533,5519,3519,3569,2569,22016201720180100200300400500600
Fonte: MEC

Nota média em matemática
nota média489,5489,5518,5518,5535,5535,52016201720180100200300400500600
Fonte: MEC

Nota média em ciências da natureza
nota média477,1477,1510,6510,6493,8493,82016201720180100200300400500600
Fonte: MEC

Resultado de todas as áreas do conhecimento
Veja abaixo as médias gerais dos participantes por áreas em 2017:

Linguagens
Nota mínima – 318,8 pontos
Nota máxima – 816,9
Nota média geral – 526,9

Ciências humanas
Nota mínima – 387,2
Nota máxima – 850,4
Nota média geral – 569,2

Matemática
Nota mínima – 360
Nota máxima – 996,1
Nota média geral – 535,5

Ciências da natureza
Nota mínima – 362,5
Nota máxima – 869,6
Nota média geral – 493,8

Redação

Das 4,1 milhões de redações corrigidas, 112.559 tiveram notas zero. Em 1,12% dos casos, o motivo da nota zero foi porque o participante entregou a prova em branco.

Marciano, cantor sertanejo, morre aos 67 anos

'Nesse momento, agradecemos o carinho de todos e pedimos orações à família', informou comunicado. Cantor fez dupla com João Mineiro, que morreu em 2012.
Por G1

Marciano não conteve as lágrimas na Arena da Festa do Peão de Barretos — Foto: Érico Andrade/G1

O cantor sertanejo Marciano, que marcou a história da música sertaneja ao lado de João Mineiro, morreu aos 67 anos, em sua casa em São Caetano do Sul, São Paulo. A informação foi confirmada na rede social do cantor:

"É com imenso pesar que, em nota, confirmamos o falecimento do cantor Marciano, o Inimitável. Em breve, divulgaremos mais informações. Nesse momento, agradecemos o carinho de todos e pedimos orações à família."

Segundo uma amiga da família, o velório acontecerá na Câmara Municipal de São Caetano do Sul. De acordo com o local, o velório começa por volta das 12h e deve seguir até 16h20, quando o corpo segue para o Cemitério das Lágrimas.


O cantor, que nos últimos anos usava o título de “O Inimitável”, iniciou a carreira na década de 1970 formando a dupla Marciano e João Mineiro. Juntos, eles fizeram hits como “Ainda ontem chorei de saudade”, “Se eu não puder te esquecer”, entre outras.
O artista também é um dos compositores de “Fio de cabelo”, um dos maiores sucessos da música sertaneja. Com mais de 400 regravações, a canção de 1981 é uma das mais lembrada em bares e karaokês. “Quando a gente canta, o povão canta junto. É emocionante”.

Após a morte de João Mineiro, em 2012, José Marciano gravou um álbum solo intitulado "Inimitável (2013)". O registro foi feito no Teatro Paulo Machado de Carvalho, em São Caetano do Sul.

Em 2015, iniciou um projeto ao lado de Milionário (ex-dupla de José Rico, que morreu naquele ano). O projeto dos dois foi chamado de "Lendas" e rendeu a gravação de um DVD em 2015, sendo lançado no mercado no ano seguinte.

Os cantores sertanejos Milionário e Marciano fazem o 1º show do projeto 'Lendas', em Ituporanga (SC), para mais de 25 mil pessoas. O reportório tem como base os sucessos das duplas Milionário e José Rico e João Mineiro e Marciano, além de canções inéditas — Foto: Cadu Fernandes/Divugação

O cantor Fabiano Martins, filho de Marciano, lamentou a morte do pai. Nos últimos anos, os dois travaram uma batalha judicial após uma publicação no Facebook. Marciano processou Fabiano por danos morais e pedia indenização de R$ 20 mil.

"Todos que me conhecem sabem da péssima relação que eu tinha com meu pai, mas estou muito triste com essa notícia. Por mais que éramos afastados, mas era meu pai. Morre um dos maiores cantores sertanejo desse país."

"E é com uma imensa tristeza que informo ao meus amigos que meu pai sofreu um infarto fulminante nessa madrugada e foi morar com Deus. João Mineiro e Marciano ficará eternizado em nossos corações", disse Fabiano.

Fã do Feminejo
Em 2017, durante uma aresentação em Brasília, Marciano afirmou ser fã do feminejo, que naquele ano, destaca diversas cantoras como Maiara & Maraisa e Marília Mendonça.

"Essas meninas que estão ‘estouradas’ são muito minhas amigas desde antes do sucesso. Conheço Simone e Simaria das turnês pelo Brasil. E Maiara e Maraísa iam aos meus shows antes de ficarem famosas. Quando eu as via, dizia que, se elas gravassem o primeiro CD, não ia sobrar para ninguém. Hoje sou eu que quero gravar com elas”, admitiu em entrevista ao G1 por telefone.

Na época, Marciano também reconheceu haver machismo no meio do sertanejo. Ele afirmou que a nova tendência entre as cantoras ajuda a manter o gênero atual. “Tinha muita gente que fazia música falando mal das mulheres. O público não quer mais ouvir isso. Para continuar fazendo sucesso, é preciso cantar o que o povo quer", declarou.

"Eu nunca compus nada que denegrisse a mulher. Mulher tem de ser bem tratada.”

Enem 2018: número de redações nota mil volta a crescer, e cai o número de notas zero

Foram 4,1 milhões de redações corrigidas, e somente 55 receberam pontuação máxima; outros 112.559 candidatos tiveram a dissertação zerada. Nota média caiu e ficou em 522,8.

Por Gessyca Rocha e Ana Carolina Moreno, G1

Prova de redação do Enem 2018 — Foto: Reprodução
Apenas 55 alunos tiraram nota mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018, de acordo com anúncio feito nesta sexta-feira (18) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep). No total, o Inep diz que corrigiu 4.122.423 provas de redação na aplicação regular do Enem, que aconteceu nos dias 4 e 11 de novembro. Os dados, portanto, não incluem as provas do Enem PPL, aplicado para pessoas privadas de liberdade.

O número representa um aumento em relação a 2017, que teve 53 notas máximas (veja o gráfico abaixo). Neste ano, os candidatos escreveram sobre 'Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet'.

Entre as provas objetivas, a nota média aumentou em linguagens, matemática e ciências humanas para o maior nível das últimas três edições, mas caiu em ciências da natureza.

Queda no número de notas zero
Além do leve aumento no número de notas mil, o Enem 2018 teve uma grande queda no número de participantes tiveram a redação zerada. Segundo o Inep, "os principais motivos para nota zero no Enem 2018 foram: redações em branco (1,12%), fuga ao tema (0,77%) e cópia do texto motivador (0,36%)". Em 2017, 5% dos participantes, o maior percentual, zerou a prova por fuga ao tema.


Já a nota média na redação passou de 558 para 522,8, considerando apenas as notas dos candidatos que não zeraram a prova.

Marco Aurélio diz que tem remetido 'ao lixo' reclamações como as de Flávio Bolsonaro

Por Andréia Sadi

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello disse nesta sexta-feira (18) ao blog que vai assinar a decisão do caso do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) no dia 1º de fevereiro. Ele é o relator do caso na Corte.

“ Já na sexta-feira, pela manhã, assinarei a decisão – sexta, dia 1º de fevereiro”, afirmou o ministro.

Perguntado sobre qual será o caminho, o ministro respondeu: “O Supremo não pode variar, dando um no cravo outro na ferradura. Processo não tem capa, tem conteúdo. Tenho negado seguimento a reclamações assim, remetendo ao lixo”, afirmou Marco Aurélio.

“Não é antecipação de decisão. É só coerência com o que, até aqui, fiz”, completou o ministro.

Em decisões anteriores, ele tem rejeitado liminares parecidas com a da defesa de Flávio Bolsonaro.
O ministro Marco Aurélio Mello em julgamento no plenário do STF — Foto: Carlos Moura, STF
Pedido da defesa
Nesta quinta-feira (17), o ministro Luiz Fux, responsável pelo plantão do STF, decidiu suspender provisoriamente o procedimento investigatório instaurado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Queiroz é ex-assessor de Flávio Bolsonaro.

A decisão de Fux foi tomada em cima de um pedido feito pela defesa de Flávio ao STF. Na solicitação, a defesa requereu ainda que o caso fosse remetido todo para a Corte e que as provas coletadas até aqui fossem anuladas.

Fux determinou que as decisões sobre os pedidos cabem ao relator do caso, ministro Marco Aurélio Mello.


quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Polícia prende procuradora aposentada condenada por torturar criança

GloboNews localizou Vera Lúcia de Sant’anna Gomes em casa. A Justiça não sabia de seu paradeiro até então.
Por Bárbara Carvalho e Marcelo Gomes, GloboNews
Faça tenha acesso ilimitado às exclusividades G1
Polícia prende procuradora aposentada condenada por torturar criança no Rio
A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu na manhã desta quinta-feira (17) a procuradora de Justiça aposentada Vera Lúcia de Sant’anna Gomes, condenada por torturar uma menina de 2 anos que pretendia adotar.

Nesta quarta, a GloboNews localizou Vera em seu apartamento, em Ipanema, na Zona Sul do Rio – a Justiça a considerava foragida havia três anos.

A procuradora saiu levada por policiais para a Cidade da Polícia por volta das 8h15, mas passou mal e teve de ser atendida no Hospital Copa D'Or.

Procuradora Vera Lúcia de Sant’anna Gomes deixa prédio presa — Foto: Reprodução/GloboNews

Relembre o caso
O episódio chocou o país em 2010. Além de espancar a menina de 2 anos que pretendia adotar, a procuradora aposentada também xingava a criança, segundo a denúncia. Na época, ela tinha a guarda provisória da menina.

O Conselho Tutelar recebeu a denúncia de maus-tratos e retirou a menina do apartamento de Vera Lúcia no dia 15 de maio de 2010. No mesmo dia, ela foi presa preventivamente.

Em 7 de julho do mesmo ano, Vera Lúcia foi condenada em primeira instância a 8 anos e 2 meses de prisão em regime fechado. Em segunda instância, o Tribunal de Justiça do Rio reduziu a pena para 5 anos e 5 meses de prisão em regime semiaberto, em 20 de março de 2014.

Uma semana depois, a procuradora foi solta após obter um habeas corpus do Supremo Tribunal Federal.

Depois de esgotadas todas as possibilidades de recurso, o Tribunal de Justiça do Rio decretou a prisão de Vera Lúcia para que ela começasse a cumprir pena em regime semiaberto, em 13 de maio de 2016. E desde então, ela estava foragida.

A defesa dela já pediu, mais de uma vez, que ela fosse beneficiada com a concessão da liberdade condicional.

No pedido do ano passado, a defesa alegou que, apesar de já ter cumprido o tempo suficiente em regime fechado, ela teve um novo mandado de prisão expedido para cumprimento da pena em regime semiaberto.

O pedido de habeas corpus diz ainda que o novo decreto de prisão contraria o Código Penal, que determina o tempo de cumprimento da pena para fins de livramento condicional. O advogado afirma no documento que o decreto prisional é “totalmente ilegal”.

A Justiça, no entanto, negou o pedido e arquivou o habeas corpus.
O que dizem os citados

A produção da GloboNews entrou em contato com a defesa da procuradora aposentada Vera Lúcia Gomes. O advogado disse que eles não têm nada a declarar.

Brasil enfrenta superlotação carcerária e 'epidemia de violência doméstica', diz Human Rights Watch


Relatório analisa situação dos direitos humanos em 90 países. Diretor da ONG diz que Bolsonaro é exemplo de governante autoritário. Planalto foi procurado, mas não ainda não se manifestou.
Por G1
o
Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades G1
Relatório do Human Rights Watch aponta situação do sistema carcerário brasileiro
O Brasil enfrenta uma epidemia de violência doméstica e a superlotação do sistema carcerário, aponta a ONG Human Rights Watch. Nesta quinta-feira (17), a ONG divulgou os resultados de um relatório anual sobre problemas no respeito aos direitos humanos em 90 países.

O estudo destaca o problema da violência generalizada contra as mulheres no Brasil. Ele indica que a polícia não investiga devidamente milhares de casos de agressões, de maneira que muitos dos responsáveis não são processados. No fim de 2017, mais de 1,2 milhão de casos estavam pendentes nos tribunais

O diretor para a divisão das Américas da Human Rights Watch, José Miguel Vivanco, denunciou ao Bom Dia Brasil uma “epidemia de violência contra a mulher”. Segundo ele, a Lei Maria da Penha, de 2006, é uma das melhores do mundo para combater esse tipo de violência, mas a estrutura precária não consegue fazer com que ela seja aplicada como deveria.

“Lamentavelmente, podemos dizer que no Brasil há uma epidemia de violência doméstica, que não é suficientemente abordada, protegida, atendida pela parte do Estado”, afirmou ao Bom Dia Brasil José Miguel Vivanco, que é diretor para a divisão das Américas da Human Rights Watch.

Em todo o país, onde vivem mais de 200 milhões de habitantes, o número de casas que oferecem acolhimento para as mullheres vítimas de violência caiu de 97 para 74.
Violência contra a mulher gera concessões de medidas protetivas — Foto: Doidam10/Freepik
Sistema carcerário lotado
A Human Rights Watch destacou que, em junho de 2016, mais de 726 mil pessoas estavam presas no Brasil. Porém, o sistema carcerário só tinha capacidade para abrigar a metade deles. No fim de 2018, o número de presos era estimado em mais de 841 mil.

Além da superlotação, o estudo aponta que menos de 15 % dos presos estudam ou trabalham. A assistência médica para os encarcerados é frequentemente deficitária.

Na avaliação da ONG, essas falhas no sistema carcerário aliadas à deficiência no número de agentes penitenciários tornam impossível que o estado brasileiro mantenha controle sobre as prisões.

Homicídios
O número de assassinatos também chamou a atenção da ONG. Em 2017, o número de homicídios bateu recorde: 64 mil. Porém, apenas 12 mil foram denunciados pelo Ministério Público. Entre as vítimas de homicídios não esclarecidos, o relatório cita a vereadora Marielle Franco e o seu motorista, Anderson Gomes.

A violência policial também aumentou. Em 2018, no Rio de Janeiro, as mortes causadas por policiais aumentaram 44% em relação ao mesmo período do ano anterior.

“O Rio de Janeiro tem 17 milhões de pessoas. A polícia matou 1400 civis. Nos Estados Unidos, um país com 325 milhões de pessoas, no mesmo período, a polícia em confronto com civis matou 1000. São números que em alguns casos podem ser equiparados com conflitos armados internos ou até internacionais”, declarou José Miguel Vivanco.

Crítica a Bolsonaro
Na edição deste ano do relatório, que tem 674 páginas, a organização analisa dados coletados entre o fim de 2017 e novembro 2018.
O diretor-executivo da ONG, Kenneth Roth, defendeu que governos autoritários têm espalhado ódio e intolerância pelo mundo, mas enfrentam uma crescente resistência por parte dos defensores dos direitos humanos, da democracia e do Estado de direito.

Durante apresentação do relatório, Roth citou o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, entre os governantes conhecidos por práticas autoritárias, como o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, e da Hungria, Viktor Orbán.

“O novo presidente do Brasil, Bolsonaro, é o mais recente exemplo [de governante] autoritário. Ele entra no grupo de figuras como [Recep] Erdogan, da Turquia; [Abdel Fatah al-] Sissi, do Egito; [Rodrigo] Duterte, das Filipinas; [Viktor] Orbán, da Hungria; [Vladimir] Putin da Rússia e Xi Jinping, da China."


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...