EM CASA

EM CASA

DAHIANA DIVULGAÇÃO

DAHIANA DIVULGAÇÃO

ADAUTO NASCIMENTO

ADAUTO NASCIMENTO

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Bolsonaro diz que vai tirar de cargo número 2 da Casa Civil que viajou à Índia em voo da FAB

Secretário-executivo da Casa Civil, Vicente Santini, estava como ministro em exercício em razão das férias de Onyx Lorenzoni. Bolsonaro disse que atitude foi ‘completamente imoral’.
Por Guilherme Mazui e Pedro Gomes, G1 — Brasília

O presidente Jair Bolsonar cumprimenta o ministro-chefe da Casa Civil em exercício, Vicente Santini, ao chegar em Nova Delhi na Índia — Foto: Divulgação/ Presidência da República/Alan Santos
O presidente Jair Bolsonaro informou nesta terça-feira (28) que decidiu tirar Vicente Santini do cargo de secretário-executivo da Casa Civil. Número dois da pasta, ele viajou à Índia em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), o que irritou o presidente.
O presidente anunciou a destituição de Santini do cargo em entrevista na chegada ao Palácio da Alvorada, após retornar da viagem oficial que fez à Índia (veja o anúncio no vídeo abaixo).
--:--/--:--
Presidente Jair Bolsonaro diz que 'número 2' da Casa Civil vai perder cargo
Santini utilizou o voo da FAB na condição de ministro em exercício, já que o titular Onyx Lorenzoni está em férias. Bolsonaro ficou irritado, pois Santini poderia ter viajado em voo comercial, como outros ministros fizeram.
“Questão do avião da Força Aérea. Inadmissível o que aconteceu. Já está destituído da função de [secretário] executivo do Onyx. Decidido por mim. Tá, vou conversar com o Onyx, ver quais outras medidas podem ser tomadas contra ele. É inadmissível o que aconteceu. Ponto final”, disse Bolsonaro.
A irritação de Bolsonaro com a atitude de Santini foi publicada na segunda-feira (27) pela jornalista Bela Megale, colunista do jornal “O Globo”, e confirmada pela colunista do G1 Cristiana Lôbo (veja no vídeo abaixo).
00:00/02:48
.cesso gratuitoFaça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às xclusividades G1
Bolsonaro critica uso de jato da FAB para levar secretário da Casa Civil à Índia
Perguntado se Santini deixará o governo, Bolsonaro disse que está decidida a perda da função de secretário-executivo. “Deixa de ser executivo da casa civil, isso está decidido”.
O presidente disse que conversará com Onyx sobre a situação de Santini a fim de decidir se tomará mais “alguma medida suplementar” em relação ao caso.
Antes de ir para Índia, Santini foi a Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico Mundial. Na sequência, ele seguiu para Nova Déli, onde se integrou à comitiva presidencial na Índia.

O presidente ficou contrariado com o custo da viagem e perguntou por que Santini não viajou em avião comercial, como fizeram os ministros Bento Albuquerque (Minas e Energia), e Tereza Cristina (Agricultura).

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Secretaria de Assistência Social de Ibicaraí realiza o 1º Encontro Socioassistencial 2020



ASCOM Ibicaraí
Aconteceu durante todo o dia de hoje, quinta-feira, 23 de janeiro, no prédio do CRAS sede, localizado na Vila Felicidade, o 1º Encontro Socioassistencial 2020, com os profissionais que compõem os serviços que englobam a Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS). Sendo eles: Centro de Referência Especializada em Assistência Social (CREAS), o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), o Programa Primeira Infância no Suas (PIS) e o Programa Bolsa Família (PBF).
Participaram da coordenação do evento a Gestora do SUAS, Juliana Costa, que fez a apresentação dos trabalhos, na sequência passou o bastão para a Psicóloga Suellen Crispim dos Santos, que realizou algumas dinâmicas, destacando a importância da coletividade e também de saber reconhecer os seus limites para que o trabalho possa ser realizado com sucesso.
A secretária Alesandra Brandão aproveitou a oportunidade para parabenizar cada componente que compõe os serviços, pedindo que todos usufruíssem do encontro, pois o objetivo do mesmo é capacitar a todos para os desafios existentes.
Os componentes de cada serviço tiveram espaço para mostrar suas demandas e frustrações, bem como apresentar sugestões para a melhoria dos trabalhos.
Ao término do encontro foi feito uma roda de bate-papo descontraída pela psicóloga Suellen, onde todos puderam se abrir, traçando assim planos para as atividades que serão realizadas durante o ano, sendo que a partir de agora a psicóloga estará se reunindo com as equipes uma vez por semana.
Participou também do encontro o Diretor dos Programas Sociais da SMAS, Genivaldo Paixão.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Prefeito Lula Brandão e engenheiro da Arca Construção apresentam projeto da encosta na Salomeia




ASCOM IBICARAÍ
Aconteceu na tarde de ontem, quarta-feira, dia 22, às 15 horas, no colégio Ramiro Berbert de Castro, no distrito da Salomeia, em Ibicaraí, a apresentação do Plano de Trabalho Técnico Social de construção da encosta (cais) naquela localidade. A obra é mais uma conquista do governo União e Trabalho, que desde dezembro de 2018 luta junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) em Brasília para conseguir o recurso para a construção dessa tão sonhada encosta, que já dura décadas, e que com as fortes chuvas que caíram na cidade em dezembro de 2018 deixou várias casas e estabelecimentos comerciais em situação de risco.
O técnico em Defesa Civil, Fernando Lucas, e Ronny Batista, responsável pela Defesa Civil local, abriram os trabalhos e na oportunidade Lucas iniciou montando a mesa com a presença do Prefeito Lula Brandão, a secretária de Assistência Social Alesandra Brandão, o Major PM Wesley Siqueira, o engenheiro da Arca Construção, responsável pela obra, Irapoan Ferreira e o morador José Souza, representante da comunidade.
Lucas falou um pouco sobre o plano de construção da encosta e mostrou imagens sobre as chuvas que caíram em 2018 e provocaram o deslizamento parcial do morro, e da luta pela qual o prefeito Lula Brandão travou para conseguir o recurso junto ao Governo Federal.
Segundo o engenheiro da Arca Construção e Empreendimento Ltda, responsável pela obra, Irapoan Ferreira, amanhã (quinta 23.01) a ordem de serviço será assinada e na próxima segunda-feira, dia 27, a empresa dará início as obras que têm recurso da ordem de R$ 853.275,22, dos quais R$ 712.000,00 foi liberado pelo Governo Federal, através do Ministério de Desenvolvimento Regional, e R$ 141.275,22 que será a contrapartida do município.
A Assistente Social Alana Consuelo falou de todo o processo, do início até chegar ao atual momento com a conquista do recurso;  O Major PM Wesley Siqueira foi rápido e disse que estamos vivendo uma tarde de glória. Apesar da tentativa de alguns de diminuir o trabalho da atual gestão o prefeito Lula Brandão conseguiu mais essa conquista.
“Quero agradecer primeiro a Deus, em seguida ao prefeito Lula Brandão, não posso deixar de agradecer também a Alana, Jéssica, Ronny e Lucas pelo empenho durante todos esses meses. Nós estamos falando de uma obra que irá mudar a vida de vocês. Quando estivemos em Brasília toda a receita da Defesa Civil tinha sido destinada para Brumadinho, mas Deus foi poderoso e olhou por Ibicaraí. Chegou 18 mil para o aluguel social de 400 reais para as 15 famílias diretamente atingidas, pelos próximos três meses, além do tão sonhado recurso para a construção da encosta”, disse Alesandra Brandão.
O prefeito Lula Brandão agradeceu a Deus sobre todas as coisas e aproveitou para parabenizar o Major e toda a mesa. O prefeito lembrou que a luta foi grande e as dificuldades maiores ainda. “Nossa equipe não parou um único dia. Hoje estou aqui para dizer que de mãos dadas iremos construir esse cais para todos. Eu sempre disse que só descansaria quando conseguisse esse recurso. Hoje estou aqui para dizer que graças a Deus vamos iniciar essa obra", disse Brandão.
Estiveram presentes ainda o secretário de Cultura, Lucas Cardoso, o secretário de Infraestrutura Hélder Carlos, o Chefe de Gabinete José Alberone, o Assessor Especial Charles Novaes e os vereadores Pedro da Farinha e Aroldo Melo.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Prefeitura de Ibicaraí através da Vigilância Sanitária iniciou grande mutirão de vacinação de cães e gatos


ASCOM IBICARAÍ
A prefeitura de Ibicaraí, através da Secretaria Municipal de Saúde e o setor de Vigilância Sanitária, deu início na última sexta-feira, dia 17, a mais um grande mutirão de vacinação de cães e gatos por toda a cidade, distritos e zona rural.
A primeira ação de vacinação para cães e gatos aconteceu na Unidade Saúde da Família (USF) Dr. Silvino Pires, no bairro do Luxo, das 8 às 12h. Na oportunidade a equipe da Vigilância Sanitária contou com o suporte da equipe de saúde do posto. No total foram vacinados 177 animais, entre cães e gatos daquela localidade e de bairros próximos.
Segundo a coordenadora da Vigilância Sanitária, Letícia Ribeiro, a ideia é fazer esse mutirão em diversos pontos da cidade, nos distritos e em alguns pontos da zona rural. Além do atendimento no posto de saúde, parte da equipe circulou e fez vacinação de animais em algumas residências.
“Em breve iremos soltar o cronograma dos próximos mutirões e avisar por meio de rádio, carro de som e internet onde e quando acontecerá a próxima ação de vacinação. O prefeito Lula Brandão solicitou da Secretaria de Saúde um grande mutirão de vacinação em todo o município. A nossa ideia é vacinar o maior número possível de cães e gatos esse ano. Quero aproveitar para agradecer a enfermeira Fernanda e equipe que nos deram apoio durante toda a manhã na unidade de saúde”, disse Letícia.

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

A política em Ibicaraí aparentemente não tem nada de ‘novo’



Por Arnold Coelho

Tenho lido com certa frequência que é preciso votar no ‘novo’ e alguns pré-candidatos se colocam nesse posto. Eu sinceramente olho todos com carinho. Conheço todos e sei que existem qualidades e defeitos neles (defeito todo mundo tem), mas não vejo nada de ‘novo’. Todos já estão há algum tempo na vida pública e não conseguem apresentar nada que convença o eleitor de votar diferente. A mudança pode surgir mais por insatisfação que por novas ideias.

Vou tentar retratar aqui o que penso como ‘novo’ e espero que eu consiga ser o mais transparente possível. Quero deixar bem claro que as linhas a seguir são apenas a minha humilde opinião.

Não acredito na reeleição, se o candidato não comunga com essa ideia (para mim) ele não pode ser considerado o ‘novo’. Acredito que a reeleição traz uma série de vícios e promessas que só prejudicam o município. Penso em um mandato único de cinco anos. Quando aparecer um candidato que abdique da reeleição, documentando em cartório o fato e divulgando para todos que não aceitará se candidatar para um segundo mandato, as coisas poderão começar a andar.
O ‘novo’ candidato deverá ter um plano de governo. Pode ser simples, mas precisa oferecer algo para o povo, fora crítica, reclamações e ataques pessoais ao gestor atual. Acredito que política é mais que apontar os erros. Acho necessário dar soluções. O ‘novo’ precisa expor suas ideias e levar de porta em porta, ouvindo o povo e acrescentando o que surgir de novo nesse projeto. Esse ‘novo’ governo precisa ser participativo, precisa ter a presença do povo, e deixar sempre claro que medidas duras precisarão ser aplicadas.
Medidas impopulares precisam ser tomadas e por isso bato na tecla que quem quer ser o ‘novo’ não pode pensar na reeleição. Precisa pensar em arrumar o município, começando por um grande cadastro imobiliário – o último foi feito no governo de HO – que irá rever o valor venal da maioria dos imóveis de Ibicaraí. Tem inúmeros imóveis – inclusive o meu – que consta na prefeitura com um valor venal muito abaixo do mercado. Em um município que arrecada pouco, o novo cadastro ajudaria muito. Mas essa medida é impopular e atrapalharia os projetos pessoais da maioria dos candidatos.

Uma outra medida impopular – e essa o ‘novo’ candidato teria que ter sangue no olho para fazer – é contratar pouco, de preferência só funcionários de primeiro escalão (secretários), segundo escalão (diretores) e pouquíssimos – eu disse pouquíssimos nomes para o terceiro escalão. Nada maior que 100 profissionais capacitados para compor as áreas mais carentes. A prefeitura teria que ter entre 750 e 800 funcionários. A drástica redução faria com que a estrutura funcionasse só com os concursados e efetivos, trabalhando em dois turnos, pois menos funcionários é igual a mais trabalho. Acredito que sobraria dinheiro para serviços essenciais.

Na Educação é preciso acontecer uma grande reforma e o ‘novo’ candidato teria que aposentar muito professor que já passou da hora. Cortar benefícios: quem fez concurso para 20 horas tem que trabalhar 20 horas. Nada de beneficiar A ou B com mais 20 horas porque a pessoa é aliado ou aliada. Reduzir drasticamente o número de coordenadores e secretárias nas escolas. Professor precisa dar aula. Tem muito professor que não dá aula faz tempo. Com uma redução de 30% da classe daria para equacionar a relação receita e despesa. Profissional da Educação que tem 40 horas tem que trabalhar 40 horas. É necessário ter um órgão que regule a classe (outra medida impopular). A OAB regula o advogado. O CREA regula engenheiros e arquitetos. Quem regula o professor? É preciso fiscalizar o professor na sala de aula e fazer prova periodicamente para testar a capacidade de determinados professores. O aluno está saindo das séries iniciais sem saber ler e escrever. O professor tem sua parcela de culpa nesse processo. Acho que o sindicato deveria ajudar nesse processo de fiscalização.

Na Saúde é preciso ter um ‘novo’ que reveja a questão do hospital. O município não consegue manter essa estrutura. Expor para a sociedade e fazer, se possível, um plebiscito. O povo precisa ajudar em determinadas decisões. O ‘novo’ gestor precisa valorizar o médico de Ibicaraí. A prata da casa. Independente de lado ou grupo político. Tem médico de Ibicaraí trabalhando em outras cidades. Por outro lado os médicos precisam ser cobrados. O horário é 8 e tem médico que chega às 10h e saem às 11h, quando não aparecem e fica por isso mesmo. A questão dos remédios é outro problema. Sobra em determinados locais e falta em outros. Falta Mutirões de Saúde, levando especialistas de acordo com a necessidade da localidade. Aí entra os ACS, os Agentes de Saúde precisam ser melhor remunerados e ganhar um extra por produção. Os ACS e ACE são os indivíduos que literalmente entram em nossas casas. Eles deveriam munir a Secretaria de Saúde de informação. Os ACS e ACE ajudariam na ‘saúde preventiva’. Vale ressaltar que todo país de primeiro mundo foca na saúde preventiva e a atividade física é uma das inúmeras formas de prevenir.

A Infraestrutura precisa trabalhar melhor. Todos os governos que vi passar vivem de fazer reparos mal feitos (por faltar material necessário) e de um engenheiro na pasta. Coloca um profissional gabaritado como secretário e o de confiança como diretor ou gerente. Cria uma Secretaria de Obras com pelo menos dois estagiários de engenharia produzindo projetos. O saneamento básico precisa ser repensado e quem não pensar em resolver a longo prazo (25 ou 30 anos) não irá resolver. Fazer esgoto e jogar no rio não é solução. É problema! Existem formas sustentáveis de tratar os esgotos, jogando água limpa nos rios e reaproveitando o resto para adubo. É um trabalho demorado, mas precisa em um momento iniciar com algum projeto piloto.

O lixo é um dos grandes problemas do município. O governo anterior iniciou um plano e deixou pela metade. O atual vem fazendo dois planos: o Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB), que está sendo feito pela prefeitura e a FUNASA, e paralelo a esse plano a prefeitura contratou um biólogo (Saulo Araújo) que está desenvolvendo o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), por sinal um excelente projeto que o Governo do Estado e a Amurc querem usar como modelo. Com esses dois planos na mão é necessário buscar recursos para o tão sonhado aterro sanitário e implantar a coleta seletiva no município. Não é fácil, mas é preciso começar. Basta dizer que produzimos em média 22 toneladas de lixo a cada 24 horas. Com a coleta seletiva metade desse lixo pode virar dinheiro para o catador. O impacto ambiental cai pela metade só com a coleta seletiva. O ‘novo’ precisa ter conhecimento e vontade de avançar nessa área.

O SAAE é o setor que precisa de um verdadeiro choque de gestão. A autarquia precisa fazer uma grande medida impopular. O SAAE arrecada muito pouco e consequentemente pouco investe. Uma estrutura ultrapassada que precisa de investimento. É inadmissível que os distritos paguem menos de 10 reais por mês em 10 mil litros de água.

Para ter ideia como é barato ter água em Ibicaraí, basta entrar em qualquer estabelecimento comercial e pedir uma água de 500ml (meio litro) e você terá de pagar em média 2 reais. O cidadão compra meio litro por dois reais e não reclama, mas reclama de 10 mil litros por menos de 10 reais do SAAE. Na sede o valor médio é de 30 reais. Divide 30 reais, por 30 dias e verá que um dia inteiro de consumo, com banhos, comida, lavagem de roupa e limpeza de casa só custará 1 real para a residência beneficiada com 3 ou quatro pessoas. É muito barato, para um produto tão essencial. É preciso rever a política de preços do SAAE e mostrar para a população que para investir é preciso pagar mais. Não conseguimos viver sem água.

Ainda falando de água é necessário arrecadar mais, para poder investir no Pagamento por Serviço Ambiental (PSA). Boa parte da nossa água sai da terra, das nascentes que estão localizadas – na maioria das vezes – em propriedades particulares. É preciso pagar para o dono da terra cuidar dessas nascentes ou em breve elas secarão, pisoteadas pelo gado ou seca, pelo sol a pino, sem a proteção das matas que estão sendo derrubadas. O ‘novo’ ou o atual gestor precisa olhar com carinho para a preservação das nossas nascentes. Nosso Legislativo também precisa carregar essa bandeira.

Precisamos ter uma barragem ou represa de acumulação. As que temos no Luxo, na Serra do Córrego Grande e na Serra da Banha são de retenção. O ‘novo’ gestor precisa apresentar um projeto e correr atrás. Ibicaraí, apesar de ter quase uma centena de nascentes, não suporta 60 dias de seca. Já tivemos essa experiência em dezembro de 2015. Investir em uma grande represa ou barragem de acumulação é essencial.

Investimento no SAAE é outro ponto que o ‘novo’ precisa ter em mente. Só reclamar da cor da água não vai ajudar no processo de limpeza do produto. O SAAE precisa urgentemente modernizar sua Estação de Tratamento (ETA). Segundo o atual diretor da autarquia é necessário fazer pelo menos mais um tanque para tratamento e investimentos nos antigos.

Na agricultura o ‘novo’ precisa conhecer verdadeiramente o município e suas regiões, sabendo o que produz cada uma. Nós temos em torno de 240 quilômetros de estradas vicinais, se dividirmos por aproximadamente 220 dias úteis, em um ano nós vamos chegar ao número mágico de 1.1 quilômetro por dia que precisa ser recuperado. É necessário uma política agrícola mais voltada para o homem do campo. Nossa secretaria de Agricultura precisa ter um veículo para o campo e uma equipe técnica, com profissionais do campo, e um cronograma anual de atividades, onde o homem do campo precisa ser avisado previamente. Temos quatro distritos que dividem as suas atividades em urbanas e rurais. Quatro grandes assentamentos que produzem muito hortifruti e uma feira verde com quase 30 famílias vivendo do que produz. O ‘novo’ precisa ter uma política agrícola para esse povo pelo menos no papel.

Não falarei muito do Social, pois é um setor que ainda funciona plenamente no município, com diversos serviços oferecidos à população de baixa renda. Bolsa Família, PIS, CREAS, CRAS e SCFV só precisam de ajustes, que o ‘novo’, colocando técnicos, manterá o bom atendimento e funcionamento.

Vamos falar do ‘Calcanhar de Aquiles’ de qualquer gestor em Ibicaraí: a tão sonhada fábrica. Instrumento que precisa chegar em nosso município e gerar pelo menos 100 empregos diretos (o ideal seria entre 200 e 300). Trazer uma fábrica para Ibicaraí é a certeza de dias melhores. O povo quer e precisa trabalhar. O ‘novo’, precisa ter deputados comprometidos e alinhados com as esferas Estadual e Federal. O ‘novo’, com deputado Copa do Mundo, não serve. Precisamos de deputados que vivam a região e olhem para Ibicaraí de forma verdadeira. Quando isso acontecer, e se todos se unirem, nos teremos não só dois, e sim, seis ou oito deputados pedindo e lutando por nós. IBICARAÍ PRECISA DE EMPREGOS DIRETOS. PRECISAMOS DE UMA FÁBRICA!

Volto a dizer que essas mal traçadas linhas são um pouco do que penso. Não dá pra colocar tudo nos mínimos detalhes pois viraria um livro e as pessoas fugiriam da leitura. Deixei de lado o cemitério, os distritos e seus problemas, os bairros periféricos e principalmente um aprofundamento maior na questão do saneamento básico, que atinge esgoto, lixo, água e um pouco de meio ambiente, pois acho que essa discussão pode ser em um segundo momento. Não sou político e nem tenho nenhuma pretensão na área. Também não sou técnico e não tenho nenhuma formação acadêmica e posso está enganado ou equivocado em determinadas questões. Minha experiência e vivência é fruto de 51 anos de vida, vendo e ouvindo. Na verdade eu sou apenas um cidadão que escolheu Ibicaraí para morar e quer ajudar.

Quanto aos ‘novos’, ‘antigos’ ou eternos candidatos, antes de pensar Ibicaraí e a prefeitura como projeto pessoal, que tal pensar como um projeto para 23 mil habitantes? Sei que todos são capazes e querem o melhor para Ibicaraí. Vamos deixar de criticar por criticar e começar a apontar soluções! Sei que vocês podem e são capazes, pois conheço todos. Deixem a escolha para o povo.

IBICARAÍ EM PRIMEIRO LUGAR


segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Lula Brandão visita deputados em Salvador para definir retomada de obras e busca por novos convênios



ASCOM Ibicaraí

O prefeito de Ibicaraí, Lula Brandão, esteve ontem, sexta-feira, dia 17, reunidocom o deputado licenciado e secretário de Estado Josias Gomes para tratar de alguns assuntos do município, entre eles a data de entrega do Mercado de Carnes e aFeira Livre e a pavimentação do bairro Delfino Guedes.

Na oportunidade Brandão falou também sobre o Programa de Mecanização Rural (PROMER), que beneficia o município conveniado com o custeio e o abastecimento de máquinas diretamente ligadas aos produtores rurais e a agricultura familiar.

Segundo Brandão a visita foi muito proveitosa, onde conversaramtambém sobre o município e as dificuldades enfrentadas a cada dia. Josias mais uma vez se colocou à disposição para ajudar Ibicaraí no que for preciso e esteja dentro do seu alcance.

“Tratamos sobre eleição municipal e o novo partido da base ao qual me filiei.Josias reafirmou o compromisso com nosso projeto político e falou de sua alegria em ver de novo o ‘Lula Correria’ que ele conheceu, sempre destemido, cavador de obras e sobretudo querido por todosaqui em Salvador e em Ibicaraí. Meu compromisso é com o povo e minha cidade”, disse Lula.

"O prefeito Lula Brandão me surpreendeu desde a nossa primeira conversa políticasobre Ibicaraína SERIN, quando eu era secretário da pasta.Lula não mediu esforços para me ajudar e agora chegou minha vez de ajudá-lo”, disse Josias.

Brandão esteve também no gabinete do Deputado Estadual Paulo Câmara, para tratar no âmbito federal de recursos para Ibicaraí. Na oportunidade o deputado destacou seu compromisso com a cidade, onde recebeu do prefeito Lula Brandão um pedido para aquisição de caixas d'água para ser entregue à população de baixa renda, no qual o deputado se comprometeu em repassar a solicitação junto ao Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS).


“O prefeito de Ibicaraí Lula Brandão me apoiou e me deu a maior votação no interior do Estado. Eu vou estar sempre a disposição e farei o que for possível para dar continuidade a esse projeto sério de governo que hoje acontece em Ibicaraí”, disse o deputado Paulo Câmara.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

CAACI faz parceria com a CESOL para cadastro e avaliação de produtos produzidos em Ibicaraí


ASCOM  IBICARAÍ
O Centro de Assistência às Associações e Cooperativas de Ibicaraí (CAACI), projeto criado pela Secretaria Municipal de Assistência Social da prefeitura de Ibicaraí, recebeu durante toda a última terça-feira (14) a visita de uma equipe do Centro Público de Economia Solidária (CESOL), órgão ligado à Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia (SETRE), que cadastrou e avaliou os produtos produzidos em Ibicaraí por associações, empreendedores individuais e artistas.
A ação aconteceu durante todo o dia e na oportunidade o CESOL disponibilizou quatro pessoas para atender a demanda, que trabalharam durante o dia com a equipe da CAACI.
No intervalo do almoço a equipe do CESOL e integrantes da CAACI participaram de uma entrevista em uma rádio local e falaram sobre a parceria firmada e o processo de cadastro de associações, artistas e os seus produtos produzidos em Ibicaraí.
Para Pedro Paulo, a parceria entre CESOL e CAACI certamente trará ótimos frutos para Ibicaraí. PP (como é conhecido) lembrou ainda da responsável pela CAACI, Anilma Lacerda, e falou da importância do governo União e Trabalho, do prefeito Lula Brandão e da secretária de Assistência Social Alesandra Brandão, que acreditaram nesse projeto. “Além da implantação da sala, equipe e suporte, a prefeitura e a Assistência Social têm nos dado todo o apoio necessário para que essa estrutura possa funcionar”, disse Pedro Paulo.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Polícia confirma mais uma morte por síndrome nefroneural em BH

Esta é a segunda morte relacionada à doença confirmada oficialmente; um terceiro caso, em Pompéu, é investigado. Polícia apura relação de internações e mortes com consumo de cerveja.
Por G1 Minas — Belo Horizonte

Cerveja Belorizontina — Foto: Flávia Lages/ TV Globo
A Polícia Civil de Minas Gerais confirmou, na manhã desta quarta-feira (15), a morte de mais uma pessoa devido à síndrome nefroneural. A vítima é um homem, que não teve a identidade e a idade divulgadas até a última atualização desta reportagem.
O paciente morreu no Hospital Mater Dei, região Centro-Sul de Belo Horizonte. O corpo deverá passar por exames e perícia no Instituto Médico-Legal (IML).

Uma força-tarefa investiga a relação das internações e mortes com o consumo da cerveja Belorizontina, da fabricante Backer. A substância tóxica dietilenoglicol foi encontrada em lotes do produto. Esta é a segunda morte relacionada ao caso confirmada oficialmente pela Polícia Civil. Há 17 notificações de pessoas doentes, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES).

A primeira vítima da síndrome a morrer foi Paschoal Dermatini Filho, de 55 anos. Ele estava internado em Juiz de Fora e morreu em 7 de janeiro.

Uma terceira morte ainda resta ser confirmada. Trata-se de uma mulher com sintomas da síndrome nefroneural em Pompéu, região Centro-Oeste de Minas Gerais. Este caso não constava no último balanço oficial da SES, mas a Secretaria Municipal de Pompéu informou ter notificado a pasta estadual.

Entre os sintomas da síndrome nefroneural estão alterações neurológicas, além de insuficiência renal. De acordo com a presidente da Sociedade Mineira de Nefrologia, Lilian Pires de Freitas do Carmo, os primeiros sinais de intoxicação por dietilenoglicol são dores abdominais, náuseas e vômitos.
Lotes contaminados com substância tóxica
Acesso gratuito
Em dois dias 568 garrafas da cerveja belorizontina já foram entregues em BH
Um laudo divulgado pela força-tarefa que apura o caso aponta que os lotes L1 1348, L2 1348 e L2 1354 estão contaminados por dietilenoglicol e monoetilenoglicol. A Backer considera que são dois lotes, sendo L1 1348 e L2 1348 duas linhas diferentes de um mesmo lote.

A substância tóxica foi encontrada em amostras de lotes da Belorizontina, que também usa o rótulo Capixaba, e em um tanque reservatório de liquido anticogelante, usado no processo de fabricação das cervejas da Backer.

Casos investigados
G1 no BDMG: Perícia contratada pela Backer encontra dietilenoglicol em lote de cerveja
Cidades onde foram notificados sintomas de intoxicação — Foto: Editoria de Arte/Globo
A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) afirmou, nesta terça-feira (14), que os 17 casos investigados atingem pessoas de Belo Horizonte e de outras cinco cidades do estado.

Conforme a secretaria, são 12 notificações na capital mineira e os demais casos notificados são de moradores de:
·         Nova Lima, na Região Metropolitana;
·         São João Del Rei, no Campo das Vertentes;
·         São Lourenço, no Sul de Minas;
·         Ubá, na Zona da Mata;
·         Viçosa, na Zona da Mata.
Em quatro pessoas foram confirmadas a intoxicação pela substância tóxica dietilenoglicol.

'Não bebam a Belorizontina'
A diretora de marketing da Backer, Paula Lebbos, pediu em entrevista coletiva nesta terça-feira (14) que as pessoas não consumam a cerveja alvo da investigação. A orientação vale também para a cerveja Capixaba, que é produzida no mesmo tanque e possui a mesma fórmula da Belorizontina, porém com rótulo diferente.

"O que estou pedindo é que não bebam a [cerveja] Belorizontina, qualquer que seja o lote. Eu não sei o que está acontecendo", disse ela.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determinou, nesta segunda (13), que todas as cervejas da marca sejam recolhidas e que seja suspensa a venda de produtos. A medida é válida para qualquer rótulo da cerveja, além dos chopes, fabricado entre outubro de 2019 e janeiro. A Backer informou que pediu mais prazo à Justiça para fazer o recall.


No início desta tarde desta terça (14), a Polícia Civil e o Mapa vistoriavam novamente a cervejaria Backer no bairro Olhos D'Água, na Região Oeste de BH. Nesta quinta-feira, a fábrica seguia interditada.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...