EM CASA

EM CASA

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Polícia analisa vídeo para identificar assaltantes que mataram médico a tiros em SP


O gastroenterologista Roberto Kikawa, criador da Carreta da Saúde, foi baleado e morto durante tentativa de assalto na noite de sábado (10) na Zona Sul da capital. Criminosos fugiram.
Por Kleber Tomaz, G1 SP
  ora 1
--:--/--:--
      Polícia de SP procura os assassinos do médico Roberto Kikawa
A Polícia Civil analisa imagens de câmeras de segurança para tentar identificar os dois homens que participaram do assassinato do médico Roberto Kunimassa Kikawa durante tentativa de assalto na noite do último sábado (10) na Zona Sul de São Paulo. Um dos criminosos atirou duas vezes na vítima. Os assaltantes fugiram sem levar nada.

Roberto estava no seu carro, um Jeep Compass branco, avaliado em mais de R$ 100 mil, estacionado na Rua do Manifesto, no Ipiranga. Dentro dele também estavam a secretaria e a filha. Elas não se feriram.

Roberto tinha 48 anos, era gastroenterologista e criador do projeto Carretas da Saúde que disponibiliza assistência médica a pessoas carentes.

O caso é apurado pelo 17º Distrito Policial (DP), no Ipiranga. De acordo com a investigação, a principal hipótese é a de que Roberto tenha sido morto pelos criminosos ao ser confundido com policial.
“Você é parça? Você é polícia? Atira nele, atira nele!'

— disseram os assaltantes para o médico, segundo uma das testemunhas relatou à investigação

Policiais ouvidos nesta terça-feira (13) pelo G1 contaram que ainda não é possível saber se os criminosos queriam roubar o carro do médico ou dinheiro e objetos de Roberto.

Pelas filmagens dos vídeos é possível ver dois homens se aproximando do carro, abrindo a porta do veículo e ameaçando o médico, que está ao volante.
Segundo sua secretária, nesse momento Roberto se desesperou porque não conseguia destravar o cinto de segurança para sair do automóvel. Foi então que os criminosos perguntaram se o médico era policial e um deles atirou, fugindo em seguida.

Dois disparos atingiram a vítima na barriga e no braço. Roberto ainda chegou a ser socorrido ao Hospital do Ipiranga, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

A secretaria e a filha, que tinham acabado de jantar com o médico, não se feriram. Roberto estava dando carona a elas para voltarem para a casa onde moravam.
O médico gastroenterologista Roberto Kunimassa Kikawa — Foto: Renato Stockler/CIES Global/Divulgação
Investigação
Há aproximadamente duas semanas, um policial civil impediu um assalto na mesma região e baleou dois suspeitos. Um deles foi preso e o outro fugiu.

Investigadores apuram se esse caso poderia ter relação com a morte do médico. O agente estava à paisana num carro particular da mesma cor e modelo parecido com o de Roberto quando trocou tiros com os bandidos.
Os policiais querem saber se os criminosos baleados pelo agente naquela ocasião conheciam a dupla que matou o médico.

Outros vídeos, que mostram homens roubando motoristas em seus carros na região, estão sendo analisados para comparar os criminosos com os bandidos que atiraram em Roberto para ver se são os mesmos.


O corpo de Roberto foi enterrado no Cemitério da Consolação, Centro da capital, na segunda-feira (12).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...