EM CASA

EM CASA

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Floresta Azul recebeu equipes técnicas da Uesc e Amurc para discutir a elaboração do PMSB



 Texto e fotos: Ascom Floresta Azul

 Depois de Barro Preto e Itapé, Floresta Azul foi a terceira cidade (que faz parte do CDS-LS) a receber uma equipe composta por quatro professores da Uesc e representantes do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável – Litoral Sul (CDS-LS) para uma audiência pública junto ao Poder Público Municipal, entidades de classes e representantes da sociedade civil organizada para a primeira de uma série de reuniões que discutirão a elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) e Resíduos Sólidos.
A reunião aconteceu na manhã de ontem, quarta-feira, 13, e foi promovida pela Amurc, em parceria com a Uesc, e teve o apoio local da Prefeitura de Floresta Azul, através da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente. O encontro aconteceu na sede do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), na Av. Raimundo Silva Cardoso, próximo ao Estádio de Futebol Macedão (cedido pela secretaria de Assistência Social).
Estiveram presentes ao evento a prefeita Dra. Sandra Cardoso; o vice-prefeito Jaconias Gusmão; os secretários de Agricultura, Educação, Saúde e Assistência Social, Valter Rubens, Sayonara Leão, Domilene Borges e Eliana Alcântara; os gerentes de Infraestrutura e Esportes Plínio Oliveira e Valdemar Sodré; os vereadores Guga, Jorginho, Gerônimo e Pedro da Sulba; o administrador do distrito de Coquinhos Pedro Alberto e o presidente do CMDS local, Milton Carvalho, além de representantes da Ceplac, Amurc e Uesc.
A prefeita de Floresta Azul, Dra. Sandra Cardoso, falou da sua luta para tentar solucionar o problema do lixão local. Agradeceu a iniciativa da Amurc e Uesc e dos técnicos presentes e falou da importância da união desses quatro municípios: Floresta Azul, Ibicaraí, Itapé e Barro Preto na busca por soluções com a elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico e Resíduos Sólidos. “A criação do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Território Litoral Sul (CDS) foi o primeiro passo para encontrarmos uma solução para esse problema que atinge grande parte dos mais de 5500 municípios brasileiros. São mais de 3 mil lixões em todo o Brasil, e nós fazemos parte dessas estatísticas. Esses técnicos estão aqui para começar o processo de elaboração de um projeto que precisa da ajuda de todos nós”, disse a prefeita.
A equipe técnica, composta de quatro professores da Uesc, mediaram o evento por aproximadamente duas horas. De acordo com o engenheiro ambiental Jorge Zumaêta Costa, esse primeiro estágio será para expor todos os aspectos jurídicos legais e técnicos, além do cronograma de execução, as vantagens, a obediência a Legislação Federal. Zumaêta deixou claro que, independente dos poderes públicos (municipal, estadual e federal), o cidadão comum é peça fundamental nesse processo. “Eu, como cidadão, quero deixar esse legado para os meus filhos e netos. Quero que eles possam desfrutar dessas riquezas naturais que ainda existem em nosso planeta. Sei que estou fazendo a minha parte e sei que vocês também podem fazer um pouco mais pelo nosso planeta”, disse o engenheiro.
Na próxima segunda-feira, 18, essa mesma equipe estará em Ibicaraí, no prédio da Câmara de Vereadores, onde fechará esse primeiro ciclo de audiência pública, que será a quarta e última cidade a receber essa equipe no processo de elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Participativo, através do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Território Litoral Sul.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...