CÂMARA DE IBICARAÍ

CÂMARA DE IBICARAÍ

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Dólar opera perto da estabilidade Na véspera, moeda dos EUA fechou em alta de 0,38%, a R$ 4,1417 na venda.

Por G1
19/09/2018 09h04  Atualizado há 4 minutos
Notas de dólar — Foto: Reuters/Dado Ruvic
O dólar passou a cair nesta quarta-feira (19), após fechar na véspera a R$ 4,1417, com o mercado de olho no cenário eleitoral após nova pesquisa Ibope de intenção de voto para as eleições presidenciais.
Às 10h36, a moeda norte-americana caía 0,01%, vendida a R$ 4,1413. Na mínima do dia até o momento, chegou a R$ 4,1338; Na abertura, foi a R$ 4,1763. Já o dólar turismo era negociado a R$ 4,32, sem considerar a cobrança de IOF (tributo). Veja mais cotações.
Na véspera, o dólar fechou em alta de 0,38%, a R$ 4,1417. No mês, a moeda acumula alta de 1,71% e, no ano, tem valorização de 24,99%.
A agenda econômica desta quarta-feira tem como destaque a divulgação da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. A expectativa é de manutenção da taxa básica de juros em 6,5% ao ano.
Variação do dólar em 2018
Diferença entre o dólar turismo e o comercial, considerando valor de fechamento
em R$dólar comercialdólar turismo (sem IOF)12/1210/119/130/18/221/22/313/322/33/412/423/43/514/523/54/613/622/63/712/723/71/810/821/830/811/0933,253,53,7544,254,5
Fonte: Valor PRO
O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 10,9 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de outubro, no total de US$ 9,801 bilhões. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.
Novo patamar e perspectivas
A recente disparada do dólar acontece em meio a incertezas sobre o cenário eleitoral e também ao cenário externo mais turbulento, o que faz aumentar a procura por proteção em dólar.
Investidores têm comprado dólares em resposta a pesquisas que mostram intenção de voto mais baixa para candidatos considerados mais pró-mercado. Na avaliação do mercado, os candidatos que lideram as pesquisas de intenção de voto são menos comprometidos com determinados modelos de reformas econômicas considerados fundamentais para o ajuste das contas públicas.

Na prática, as flutuações atuais ocorrem principalmente conforme cresce a procura pelo dólar: se os investidores veem um futuro mais incerto ou arriscado, buscam comprar dólares como um investimento considerado seguro. E quanto mais interessados no dólar, mais caro ele fica.

Educação Financeira: Quando é hora de comprar dólar?
G1 Economia
--:--/--:--

Educação Financeira: Quando é hora de comprar dólar?

Outro fator que pressiona o câmbio é a elevação das taxas básicas de juros nas economias avançadas como Estados Unidos e União Europeia, o que incentiva a retirada de dólares dos países emergentes. O mercado tem monitorado ainda a guerra comercial entre Estados Unidos e seus parceiros comerciais e a crise em países como Argentina e Turquia.

A visão dos analistas é de que o nervosismo tende a continuar até que se tenha uma maior definição da corrida eleitoral.


A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2018 subiu de R$ 3,80 para R$ 3,83 por dólar, segundo o último boletim Focus do Banco Central. Para o fechamento de 2019, avançou de R$ 3,70 para R$ 3,75 por dólar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BAHIA- Bolsa Presença injeta mais de R$ 215 milhões na economia baiana, no primeiro semestre de 2024

  Secom  - Secretaria de Comunicação Social - Governo da Bahia Além de reforçar a segurança alimentar das famílias dos estudantes da rede es...