GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO

terça-feira, 2 de junho de 2015

Fêmeas de espécie ameaçada de peixe-serra se reproduzem sem sexo

Fenômeno surpreendente foi descoberto por acaso, em análises de DNA.

É a 1ª vez que partenogênese é constatada em vertebrados na natureza.

Do G1, em São Paulo
Uma pesquisa rotineira sobre a população de uma espécie ameaçada de peixe-serra nos Estados Unidos levou a uma descoberta surpreendente: algumas fêmeas estavam se reproduzindo sem sexo nem qualquer participação dos machos, em um processo chamado partenogênese.
Enquanto a partenogênese é comum em invertebrados, até o momento a existência do fenômeno em vertebrados só tinha sido constatada em raras ocasiões, em animais como pássaros, répteis e tubarões, mas sempre em cativeiro. Esta é a primeira vez que foram identificados filhotes de vertebrados nascidos desta forma na natureza.
A descoberta, que foi publicada na revista científica "Current Biology" nesta segunda-feira (1º), foi possível graças à análise do DNA de exemplares de peixe-serra-de-dentes-pequenos (Pristis pectinata) em um rio da Flórida, nos Estados Unidos.
  Exemplar de peixe-serra-de-dentes-pequenos (Pristis pectinata) encontrado em rio da Flórida: pesquisadores descobriram que fêmea da espécie é capaz de se reproduzir por partenogênese  (Foto: Florida Fish and Wildlife Conservation Commission (FWC))Exemplar de peixe-serra-de-dentes-pequenos (Pristis pectinata) encontrado em rio da Flórida: pesquisadores descobriram que fêmea da espécie é capaz de se reproduzir por partenogênese (Foto: Florida Fish and Wildlife Conservation Commission (FWC))
"Estávamos conduzindo testes de rotina de DNA nos peixes-serra encontrados na área para ver se parentes estavam se reproduzindo com parentes devido ao pequeno tamanho da população", diz Andrew Fields, principal autor da pesquisa e pesquisador da Universidade Stony Brook.
  •  

"O que as análises de DNA nos mostraram foi muito mais surpreendente: fêmeas de peixe-serra estavam, algumas vezes, se reproduzindo sem acasalamento", disse Fields. Foram identificados sete filhotes que nasceram dessa forma e eles eram saudáveis.
"Existe uma noção geral que a partenogênese em vertebrados é uma curiosidade que geralmente não leva a filhotes viáveis", diz Gregg Poulakis, da Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida. O estudo mostrou o contrário.
Os pesquisadores acham que esse tipo de reprodução pode ser mais comum em populações pequenas e ameaçadas, mas mais pesquisas devem ser feitas para verificar se o fenômeno se repete em outras espécies de animais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...