EM CASA

EM CASA

DAHIANA DIVULGAÇÃO

DAHIANA DIVULGAÇÃO

ADAUTO NASCIMENTO

ADAUTO NASCIMENTO

segunda-feira, 16 de abril de 2012

MST invade prédio do Ministério do Desenvolvimento Agrário, no DF

PM estima em 1,5 mil manifestantes, cerca de 300 estão dentro do prédio.
Trabalhadores rurais denunciam a estagnação da reforma agrária.

Do G1 DF


O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) invadiu o prédio do Ministério do Desenvolvimento Agrário na Esplanada dos Ministérios, no Distrito Federal. A ocupação foi realizada durante a madrugada desta segunda-feira (16), antes das 6h. Os trabalhadores rurais denunciam a estagnação da reforma agrária e a diminuição de investimentos em desapropriações de terras no país por parte do governo federal.

Os manifestantes pedem ainda melhores condições de trabalho e um plano de assentamento para 186 mil famílias acampadas e a criação de um programa de desenvolvimento dos assentamentos.

Como medida preventiva, as entradas do prédio foram fechadas pela segurança. A Polícia Militar estima em 1,5 mil o número de manifestantes, cerca de 300 estão dentro do prédio do Ministério do Desenvolvimento Agrário. Cerca de 20 policiais foram destacados para fazer a segurança no local.
Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) invade prédio do Ministério do Desenvolvimento Agrário, no DF  (Foto: Reprodução/TV Globo) 
Sem-terras protestam em frente ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, na Esplanada dos Ministério, na manhã desta segunda-feira (16). Um grupo de manifestantes invadiu o prédio (Foto: Reprodução/TV Globo)
Segundo a polícia, uma parte do grupo ocupa a portaria do prédio enquanto outros manifestantes protestam do lado de fora. Um homem chegou a subir na marquise do prédio para hastear uma bandeira, mas foi retirado por seguranças.

A ação integra a Jornada Nacional de Lutas por Reforma Agrária que o MST promove todos os anos em abril, mês em que 21 trabalhadores Sem Terra foram mortos no episódio conhecido como Massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará, em 1996.

"O primeiro ano do governo Dilma foi o pior para a criação de assentamentos dos últimos 16 anos. Agora em abril, o Ministério do Planejamento cortou mais de 60% do orçamento do Incra, o que deve inviabilizar os programas de assistência técnica e educação. Não podemos admitir que a burocracia do governo corte as verbas relacionadas à melhoria da produtividade e à educação, compromissos sempre tão reforçados nos discursos da presidenta Dilma", afirma Alexandre Conceição, da direção nacional do MST.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...