EM CASA

EM CASA

DAHIANA DIVULGAÇÃO

DAHIANA DIVULGAÇÃO

ADAUTO NASCIMENTO

ADAUTO NASCIMENTO

sábado, 24 de março de 2018

Prefeitura de Ibicaraí apresentou versão preliminar do Plano Municipal de Resíduos Sólidos em Audiência Pública



ASCOM Ibicaraí 
Com objetivo de discutir junto com a população e buscar soluções para o problema do lixão municipal, a Prefeitura de Ibicaraí realizou uma audiência pública, na Câmara Municipal de Vereadores, na manhã desta quinta-feira, 22. Diversas autoridades e a população em geral estiveram presentes e participaram da audiência, dialogando, questionando e propondo soluções para destinação do lixo que é coletado no município.
A audiência também contou com a presença do prefeito Lula Brandão, secretários municipais e do corpo jurídico da Prefeitura que, na pessoa do Procurador Geral, Adriano Carvalho, explicou que essa situação do lixão municipal se arrasta há mais de 30 anos e, desde 2017, o município vem promovendo estudos na área ambiental com ênfase no atendimento às exigências da Lei Federal nº 12.305/2010, tendo constatado que a Lei Municipal nº 989, aprovada na gestão passada, em 2016, não contemplava os critérios mínimos exigidos pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, motivo ainda para que o INEMA multasse o nosso Município.
Desta forma, foi dado início pela atual gestão ao projeto de reformulação do Plano, agora de maneira a atender todas às exigências legais, em conformidade à realidade de nossa cidade e com o devido acompanhamento do Ministério Público Ambiental. Dentre as exigências, que são 19 condições mínimas apontadas na referida Lei, o município de Ibicaraí já realizou 13 delas.
Na sequência, o biólogo Saulo Araújo apresentou a versão preliminar do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), que está sendo elaborado pela Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano. Saulo explicou que o Plano é o documento que irá nortear a resolução do problema do lixo na cidade de Ibicaraí e também é a condição para os municípios brasileiros terem acesso a recursos da União para implantação de aterros sanitários.
Segundo o biólogo informou, a implantação de um aterro sanitário é inviável para municípios com população abaixo de 100 mil habitantes, o que faz com que Ibicaraí precise participar de consórcio com outras cidades para galgar um aterro ou implantar de forma eficiente o PMGIRS e reduzir drasticamente a produção diária de lixo - com a coleta seletiva - podendo assim pensar em um aterro com proporções menores e um baixo custo de produção.
Saulo detalhou todo o plano para os presentes e falou das etapas que faltam para finalizar. “A coleta seletiva começa em nossas casas. Precisamos criar a rotina de fazer diariamente a separação do material reciclável e orgânico. Hoje, Ibicaraí produz quase trinta toneladas de lixo diariamente, sendo que 51% é de material orgânico; 32% é de material reciclável e 17% de outros. Os números constatam que metade do lixo pode virar adubo orgânico e 32% nem precisa chegar ao lixão, podendo ir diretamente para as recicladoras”.
O biólogo ainda acrescentou que lixo bem administrado é um negócio rentável. Mas, para isso, é necessário mudar costumes diários; criar uma associação e qualificar os mais de 30 catadores do município; ter o apoio maciço da sociedade civil organizada, entidades de classes e o poder público municipal, além de implantar a Educação Ambiental nas escolas, entre outras coisas.
Finalizando, o prefeito Lula agradeceu a presença de todos, principalmente da população que se fez presente e participou e está engajada nesta causa. “Quero dizer que, desde o primeiro dia, estamos trabalhando para resolver esse problema. Não estivemos de braços cruzados em momento algum. Já nos encontramos com o Promotor Ambiental e apresentamos também a ele o projeto. Agora, é caminharmos todos juntos para dar continuidade a esse projeto, que é em prol de uma Ibicaraí melhor”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...