DAHIANA DIVULGAÇÃO

DAHIANA DIVULGAÇÃO

IR

IR

ADAUTO NASCIMENTO

ADAUTO NASCIMENTO

SAAE

SAAE

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

ANTES GRAMPINHO, AGORA PIGMEU

Direto da Coluna Tempo Presente (Levi Vasconcelos), d´A Tarde
No dia em que ACM Neto anunciou o secretariado, aliados deles nos contavam, o radialista Cristóvão Rodrigues presente, que durante a campanha o ex-vereador Antônio Lima, carlista histórico, agora netista chapado, convidou-o para visitar a Feira de São Joaquim, sua base histórica.
Os carros da caravana de Neto ficaram nas proximidades da Codeba, o único em frente à feira foi o de Lima.
Neto voltou na frente, viu o carro de Lima, abriu a porta de trás, entrou. Logo veio a vice, Célia Sacramento, que também entrou.
Chegou Lima, parou, olhou para um lado, para outro, se intrigou:
- Ué!… Cadê o pigmeu?
E Neto, lá do fundo do carro:
- Eu estou aqui, vereador Lima…

'Barrados' na lotérica ficam sem aposta da Mega da Virada e lamentam

Apostadores de última hora enfrentaram fila em São Vicente, SP.
Caixa encerrou apostas às 14h. Sorteio acontece a partir das 20h.

Lincoln Chaves Do G1 Santos

Últimos minutos de apostas na Mega da Virada foi de fila em lotérica de São Vicente, SP (Foto: Lincoln Chaves/G1) 
Últimos minutos de apostas na Mega da Virada em lotérica de São Vicente (Foto: Lincoln Chaves/G1)
O pedreiro André da Costa chegou à fila da casa lotérica de um shopping de São Vicente, no litoral de São Paulo, às 12h30 desta segunda-feira (31). Uma hora e meia depois, quando enfim chegou à boca do caixa, veio a má notícia: já não era mais possível fazer a esperada aposta na Mega-Sena da Virada. O motivo? É que a vez de André ser atendido ocorreu segundos após o sistema da Caixa Econômica Federal encerrar automaticamente a captação de apostas, pontualmente às 14h.
"(O sistema de apostas) Encerrou assim que cheguei na boca do caixa. A atendente disse que não dava para fazer nada. Não costumo apostar, mas fica a sensação de que era para eu ganhar dessa vez. Uma pena, mas acho que deviam ter avisado antes que os jogos iam até as 14h, não é?", conta André, com um sorriso amarelo no rosto.
A lamentação do pedreiro foi compartilhada por boa parte dos quase 50 apostadores que, no momento que o sistema da Caixa encerrou o funcionamento, ainda estavam na fila da agência. É o caso do aposentado Nivaldo Lins da Silva. Após aguardar por meia hora na fila preferencial, Nivaldo não conseguiu fazer a aposta habitual de todo final de ano na Mega-Sena da Virada.
últimos apostadores Mega (Foto: Lincoln Chaves / Globoesporte.com) 
Fezinha de última hora formou fila em lotérica em
São Vicente, SP (Foto: Lincoln Chaves/G1)
Assim como ocorreu com André, o aposentado viu o sistema fechar justamente na hora que seria atendido, mas encarou a situação com bom humor. "Graças a Deus, não preciso disso (prêmio) para viver... Estou realizado da vida, jogo mais por jogar mesmo. Além disso, minha filha já fez a aposta dela. Vim fazer a minha, mas não deu. Fica para a próxima", resignou-se.
A Mega da Virada sorteia nesta segunda o maior prêmio da história das loterias no Brasil, de acordo com a Caixa Econômica: R$ 230 milhões. O sorteio ocorre a partir das 20h (horário de Brasília). O prêmio não acumula. Se não houver ganhadores que acertem as seis dezenas, o valor será dividido entre os acertadores da Quina, e assim por diante.

Atleta morre durante prova de cadeirantes da São Silvestre

Israel Cruz Jackson de Barros sofreu acidente em descida de ladeira.
Local é perto do estádio do Pacaembu.

Do G1 São Paulo
8 comentários
acidente são silvestre (Foto: G1)
O paratleta Israel Cruz Jackson de Barros morreu na manhã desta segunda-feira (31) em São Paulo depois de sofrer acidente na Prova dos Cadeirantes da São Silvestre, a tradicional corrida de rua do final do ano.
O acidente foi na descida da ladeira na Rua Major Nataniel, que desemboca no Estádio do Pacaembu. O atleta foi levado à Santa Casa de Misericórdia, onde deu entrada às 7h35 e morreu às 8h50, segundo o hospital.
O Instituto Médico Legal (IML) indica que ele teve um "trauma toráxico", mas não especifica a causa da morte. Segundo o documento do IML, Israel tinha 44 anos. Segundo familiares, ele tinha 41.
Israel Cruz, como é conhecido, é de Ananindeua (PA), na região metropolitana de Belém.
Até a última atualização desta reportagem, a Fundação Cásper Líbero, detentora dos direitos da prova, e a Yescom, empresa encarregada da organização da prova, ainda não haviam feito nenhuma comunicação oficial sobre o caso.

Publicada lei que reajusta em 5% salário de ministros do STF e do PGR

Salários dos 11 ministros passarão de R$ 26.737,13 para R$ 28.059,29.
Pela Constituição, remuneração do STF é teto do funcionalismo público.

Do G1, em Brasília

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta segunda-feira (31) propostas que reajustam em 5% o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do procurador-geral da República. A remuneração dos 11 membros da corte e do chefe do Ministério Público passará de R$ 26.737,13 para R$ 28.059,29. A sanção foi publicada no "Diário Oficial da União" - clique aqui para ver.

Pela Constituição, os salários do STF são os mais altos do Poder Público e representam o máximo do que um servidor pode receber mensalmente.
Segundo do "Diário Oficial", o aumento vale a partir de 1º de janeiro de 2013 e gera efeito cascata na magistratura e na procuradoria, já que os salários de juízes e procuradores são vinculados aos dos ministros do Supremo.
Pela proposta, os ministros e o procurador deverão ter o mesmo percentual de aumento, de 5%, em 2014 e 2015. Com a sanção do projeto, o teto salarial do funcionalismo chegará a R$ 30.935,36 em 2015.
Presidenta Dilma Rousseff durante posse do Presidente e do Vice-Presidente do STF, ministros Joaquim Barbosa e Ricardo Lewandowski no Supremo Tribunal Federal (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR) 
Presidente Dilma Rousseff durante posse do
presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa
(Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)
O reajuste é menor do que o reivindicado pelo Judiciário e já estava previsto no Orçamento de 2013. Em setembro, o então presidente do Supremo, Carlos Ayres Britto, enviou projeto de lei ao Congresso solicitando ajuste de 7,12% em 2013. Com a aprovação da proposta de 5% de aumento, o projeto do Supremo foi derrubado.
O percentual é o mesmo que foi autorizado pelo Executivo em várias carreiras do funcionalismo.
Outras carreiras
Dilma também sancionou reajustes para várias outras carreiras do funcionalismo: servidores do Judiciário, do Ministério Público, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, da Câmara dos Deputados e do Tribunal de Contas da União.
Também receberão aumento professores de instituições federais, diplomatas, procuradores federais e policiais federais.
Neste ano, em meio a paralisações generalizadas, o governo se comprometeu a conceder para todo o funcionalismo o mesmo reajuste uniforme de 15,8%, diluídos em 3 anos (2013 a 2015). A proposta dividiu o funcionalismo, mas pôs fim às greves, com aceitação por várias categorias.

sábado, 29 de dezembro de 2012

Ibicaraí – Prefeitura paga o salário do mês de novembro e o décimo terceiro também.





O prefeito Lenildo Santana, é um administrador muito compromissado com a coisa pública, e, vem cumprindo com a sua obrigação de gestor e de homem público, enquanto tem município por ai que tem salários atrasados, os funcionários de Ibicaraí na Bahia estão com seus proventos em dia, inclusive já receberam o décimo terceiro salário. Tem gestora que deveria se espelhar neste bom exemplo, ao invés de deixar os funcionários de seu município, com mais de cinco meses de atraso e ainda promover farras, como é o caso da vizinha cidade de Floresta Azul na Bahia.

Governo britânico lança propaganda em que tumor cresce em cigarro

Campanha visa atingir jovens que não reconhecem riscos do fumo.

Da BBC

O governo da Grã-Bretanha lançou uma série polêmica de propagandas contra o cigarro.
Propaganda de cigarro- matéria BBC (Foto: BBC) 
Cena de propaganda que mostra "tumor" crescendo em cigarro (Foto: BBC)
Em um vídeo (veja aqui), a campanha afirma que, quando uma pessoa fuma, os componentes químicos inalados causam mutações no corpo e uma mutação é como um câncer começa.
Propaganda de cigarro- matéria BBC (Foto: BBC) 
Outra cena da propaganda (Foto: BBC)
Depois disso, o tumor começa a crescer no próprio cigarro.
O objetivo é mostrar que mesmo poucos cigarros fazem mal à saúde e atingir aqueles que pensam que os perigos associados ao tabagismo são exagerados.
O Departamento de Saúde britânico afirmou que quer alcançar todos os fumantes, mas principalmente os jovens que não tinham visto propagandas mais fortes antes.

Jovem expulsa por engano do Enem recebe nota e mãe se diz aliviada

Jacqueline Chen só fez prova de linguagens, matemática e redação dia 20.
Mãe diz sentir alívio com o fim da novela, que durou mais de 40 dias.

Ana Carolina Moreno Do G1, em São Paulo

Wu Shang Yi e sua filha Jacqueline Chen, que foi expulsa por engano do Enem (Foto: Paulo Guilherme/G1) 
Wu Shang Yi e sua filha Jacqueline Chen, que foi
expulsa por engano do Enem
(Foto: Paulo Guilherme/G1)
A estudante paulista Jacqueline Meei Yi Chen, de 16 anos, recebeu sua nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2012 junto com os demais candidatos que realizaram o exame, apesar de ter feito parte das provas 46 dias depois dos demais, em uma edição realizada pelo Ministério da Educação especificamente para ela. Segundo sua mãe, Wu Shang Yi, mais do que saber a nota, "o alívio maior foi de ter acabado com tudo isso". Ela considerou o resultado "razoável": a nota da redação passou de 700, e a mais baixa foi a de linguagens, na qual a garota tirou mais de 500 pontos.
Jacqueline foi expulsa do exame no segundo dia de provas, em 4 de novembro, depois de ser confundida com uma homônima que, segundo o MEC, tirou foto do cartão de respostas do Enem no dia anterior e postou nas redes sociais. Quatro dias depois, o MEC admitiu o equívoco. Após uma série de decisões judiciais, a prova de Jacqueline foi aplicada em seu colégio, o Dante Alighieri, em São Paulo, no dia 20 de dezembro.
Segundo sua mãe, Wu Shang Yi, a adolescente só foi autorizada a fazer a prova a partir das 13h. Por isso, a família, que mora na Liberdade, na Zona Sul, precisou alugar um flat na região da Avenida Paulista para que Jacqueline se preparasse para a festa de formatura do ensino médio, marcada para a noite do mesmo dia 20 na Mooca, Zona Leste da capital.
VEJA A CRONOLOGIA DO CASO
03/11: No 1º dia do Enem 2012, o MEC anunciou a eliminação de 37 candidatos que haviam publicado em redes sociais fotos do cartão-resposta e da prova. Uma delas foi Jacqueline Tchia Lin Chen.
04/11: No 2º dia, outros 28 candidatos tiveram a eliminação anunciada pela mesma atitude.
08/11: O MEC admitiu que, no dia 4, Jacqueline Meei Jy Chen foi confundida com Jacqueline Tchia Lin Chen e retirada da prova por engano. O ministro Aloizio Mercadante pediu desculpas e ofereceu à menina a chance de refazer a prova.
10/11: O MEC afirma ter enviado um telegrama a Jacqueline confirmando a data da nova prova nos dias 4 e 5 de dezembro, data do Enem aplicado para detentos. Segundo o MEC, a garota não respondeu.
27/11: Jacqueline consegue na Justiça uma liminar que a desobriga de fazer o Enem em 4 e 5 de dezembro. A defesa da garota alegou que a data era próxima de outros vestibulares dela. A data da prova específica para a garota é marcada para os dias 12 e 13 de dezembro.
29/11: O MEC afirma ter enviado um segundo telegrama a Jacqueline sobre a data da prova, também sem resposta.
04 e 05/12: O MEC aplica as provas do Enem para detentos, e Jacqueline não comparece à unidade da Unip em que foi alocada para o exame.
11/12: O TRF da 3ª Região aceita um recurso de agravo de instrumento do MEC, alegando que não teria tempo hábil de elaborar uma prova do Enem para os dias 12 e 13. A desembargadora fixa nova data para o dia 20, quando apenas as provas do segundo dia seriam aplicadas.
12/12: Segundo a assessoria de imprensa do advogado de Jacqueline, a Justiça não informou a defesa dela a tempo e, por isso, a garota chegou ao seu colégio para fazer o Enem, mas não encontrou ninguém.
15/12: A assessoria do advogado Evaristo Araújo confirma que a defesa de Jacqueline pediu no TRF a retificação da data do Enem dela para os dias 18 e 19. Segundo a assessoria, Jacqueline quer refazer os dois dias de prova, e não só o segundo.
"Ela chegou lá muito brava. Ela ficou meio decepcionada pela falta de compreensão da parte deles, porque era o dia da formatura dela. A festa de formatura não é uma festinha qualquer, e a prova do Enem não é um compromisso qualquer", afirmou Wu Shang ao G1.
A mãe de Jacqueline, porém, elogiou o trabalho dos fiscais do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). "Os fiscais foram compreensivos, a acalmaram, conversaram com ela, daí foi tudo bem." A estudante fez três provas: linguagens, matemática e redação, que, segundo ela, teve como tema "A responsabilidade sobre o sofrimento do outro".
A assessoria de imprensa do MEC confirmou que a aplicação e a correção das provas ocorreram sem problemas.
Nota alta na redação
Segundo a mãe, a nota da redação da adolescente passou de 700, e a prova na qual ela foi pior foi linguagens, em que tirou mais de 500. "Mas não sei se é suficiente para o curso que ela quer", diz. Jacqueline sonha em estudar arquitetura, e prestou quatro vestibulares, para a Universidade de São Paulo (USP), para a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), para a Universidade Estadual Paulista (Unesp) e para a Universidade Presbiteriana Mackenzie.
É nessa última que a garota mais quer entrar, mas, de acordo com a mãe, Jacqueline não foi bem na prova. Tanto o Enem de Jacqueline quanto o vestibular do Mackenzie foram aplicados no mesmo local e, por isso, o nervosismo tomou conta da jovem. A nota do Enem será usada para calcular sua pontuação final.
A primeira chamada do Mackenzie será divulgada na próxima quinta-feira (3). Enquanto isso, Jacqueline aguarda ainda o resultado da segunda fase da Unesp, único dos três vestibulares das estaduais paulistas no qual foi aprovada na primeira fase.
De acordo com o advogado da família, a recusa da garota em realizar o Enem na segunda edição do exame (dias 4 e 5 de dezembro, junto com detentos e candidatos que por vários motivos não puderam fazer uma das provas regulares em 3 e 4 de novembro) foi porque a data era próxima de outras provas. O processo seletivo do Mackenzie teve a prova objetiva no dia 8, e a prova de habilidades específicas dos candidatos de arquitetura e urbanismo no dia 7.
Por isso, a defesa de Jacqueline conseguiu na Justiça o direito de realizar a prova em outra data, no dia 12. O MEC então protocolou um recurso afirmando que não teria como elaborar outra prova em tempo hábil, e a Justiça então alterou a data para o dia 20, coincidindo com sua formatura.
A preocupação não era ficar perturbando o Enem, a gente só queria que ela tivesse condições de fazer uma boa prova"
Wu Shang Yi,
mãe de Jacqueline Chen
Em sua decisão, a desembargadora Consuelo Yoshida afirmou que deferiu o agravo do MEC "para se conceder uma dilação maior de prazo para a preparação adequada da prova e demais trâmites" e que o adiamento se trata de uma "solução equânime que atenda os interesses de ambas as partes".
Porém, Wu Shang afirma que a decisão foi unilateral. "Determinaram uma data e em momento algum tiveram interesse de perguntar se a gente podia ou não. A preocupação não era ficar perturbando o Enem, a gente só queria que ela tivesse condições de fazer uma boa prova", explicou.
O próximo passo da estudante agora é esperar pelo resultado do vestibular do Mackenzie, para ver se usa ou não a nota do Enem para se inscrever em instituições participantes do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Previsão é de tempo abafado com muitas nuvens e pancadas de chuva

No domingo, temperatura fica estável, com céu nublado e chuvas.
Tempo fica seco no Nordeste e no Rio Grande do Sul, diz Cptec/Inpe.

Do G1, em São Paulo

Previsão é de tempo abafado, com pancadas de chuva na maior parte do país (Foto: Reprodução/Cptec/Inpe) 
Imagem de satélite de sexta (28) mostra nuvens em
parte do país (Foto: Reprodução/Cptec/Inpe)
O fim de semana será de tempo abafado, com muitas nuvens e pancadas de chuva na maior parte do país, segundo previsão do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec/Inpe).
“Estamos esperando a formação da Zona de Convergência de Umidade, começando na Amazônia, passando pelo Centro-Oeste e pegando áreas do Sudeste e Sul do Brasil”, explica o meteorologista Olivio Bahia.
De acordo com ele, a zona de convergência deve manter uma grande quantidade de nuvens sobre essa área, provocando chuvas nas regiões Norte e Centro-Oeste, em São Paulo, no triangulo mineiro, oeste e sul de Minas, em Santa Catarina e no Paraná.

Em algumas cidades do interior de São Paulo, Minas Gerais e Paraná haverá condição para fortes pancadas de chuva, com probabilidade de temporais isolados, com raios, rajadas de vento e ocasional queda de granizo.

A grande quantidade de nuvens diminui a probabilidade de temperaturas muito elevadas, na casa dos 40ºC, como ocorreu durante a semana. “A elevação das temperaturas vai depender de aberturas pontuais entre as nuvens”, explicou Olivio.

A previsão é de tempo seco no Rio Grande do Sul, em parte do Espírito Santo, no centro-norte do Rio de Janeiro e na região Nordeste. A exceção são os estados do Maranhão e Piauí, além do litoral da Bahia, onde há possibilidade de chuvas.
Na região Norte, as temperaturas devem variar entre 36°C no norte do Pará e 18°C no noroeste de Roraima, enquanto no Nordeste, a máxima pode superar os 36°C no oeste do Rio Grande do Norte e no leste do Ceará. Já a mínima deve ficar em torno de 16°C no interior da Bahia.
No Centro-Oeste a temperatura mais alta deve ficar na casa dos 36ºC, no noroeste do Mato Grosso, e a mais baixa pode atingir 17ºC no leste de Goiás.
A previsão para o Sudeste é de 34ºC no Rio de Janeiro e 16°C em Minas Gerais. No Sul, a máxima pode chegar a 34ºC no noroeste do Rio Grande do Sul e a mínima a 11°C no sul do estado

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Floresta Azul o Natal mais triste do Brasil.




         O povo de Floresta Azul na Bahia vem se perguntando. O que a atual administração ta pensando mesmo? Já que os servidores municipais estão com mais de cinco meses de salário em atraso, e o poder público municipal ainda fica promovendo festa de largo. Será que tão comemorando o que? É incrível a falta de consideração e de compromisso da atual gestão em Floresta Azul para com o anseio popular. Eles estão querendo enganar a quem? Será que é a velha história do pão e circo? Será, que na casa dos servidores municipais de Floresta Azul na Bahia não dá a hora do almoço, do café da manhã, será que estes servidores não precisam pagar água, luz, botijão de gás, telefone e também comprar remédio, etc.? É, em Floresta Azul na Bahia, a coisa do povo não vem sendo administrada para o povo. Mas na noite da última quinta-feira (27), na residência oficial do alcaide teve uma festança com comes e bebes para uma seleta elite, não houve pechincha, pois a riqueza do bufete não deixou a desejar, enquanto a noite caia e a hora da janta não chegava à residência dos servidores municipais, a ordem era esbanjar mesmo, pois o wisck e a comida eram da mais alta qualidade, servida com bastante requinte em meio aos fortes risos por parte dos que se fartavam.
A política do Pão e circo (panem et circenses, no original em Latim) como ficou conhecida, era o modo com o qual os líderes romanos lidavam com a população em geral, para mantê-la fiel à ordem estabelecida e conquistar o seu apoio. Esta frase tem origem na Sátira X do humorista e poeta romano Juvenal (vivo por volta do ano 100 d.C.) e no seu contexto original, criticava a falta de informação do povo romano, que não tinha qualquer interesse em assuntos políticos, e só se preocupava com o alimento e o divertimento.
Com a sua gradual expansão, o Império Romano tornou-se um estado rico, cosmopolita, e sua capital, Roma, tornou-se o centro de praticamente todos os acontecimentos sociais, políticos e culturais na época de seu auge. Isso fez naturalmente com que a cidade se expandisse, com gente vindo das mais diferentes regiões em busca de uma vida melhor. Como acontece até hoje em qualquer parte do mundo, pessoas humildes e de poucas condições financeiras iam se acotovelando nas periferias de Roma, em habitações com conforto mínimo, espaço reduzido, de pouco ou nenhum saneamento básico, e que eram exploradas em empregos de muito trabalho braçal e pouco retorno financeiro.
Esses ingredientes, em qualquer sociedade são perfeitos para detonarem revoltas sociais de grandes dimensões. Para evitar isso, os imperadores optaram por uma solução paliativa, que envolvia a distribuição de cereais, e a promoção de vários eventos para entreter e distrair o povo dos problemas mais sérios na fundação da sociedade romana.
Assim, nos tempos de crise, em especial no tempo do Império, as autoridades acalmavam o povo com a a construção de enormes arenas, nas quais realizavam-se sangrentos espetáculos envolvendo gladiadores, animais ferozes, corridas de bigas, quadrigas, acrobacias, bandas, espetáculos com palhaços, artistas de teatro e corridas de cavalo. Outro costume dos imperadores era a distribuição de cereais mensalmente no Pórtico de Minucius. Basicamente, estes “presentes” ao povo romano garantia que a plebe não morresse de fome e tampouco de aborrecimento. A vantagem de tal prática era que, ao mesmo tempo em que a população ficava contente e apaziguada, a popularidade do imperador entre os mais humildes ficava consolidada.
Para os espetáculos eram reservados aproximadamente 182 dias no ano (para cada dia útil havia um ou dois dias de feriado). Os espetáculos que foram se desenvolvendo em cada uma dessas férias romanas, tinham sua origem na religião. Os romanos nunca deixavam de cumprir as solenidades, porém não mais as compreendiam e os festejos foram deixando de ter um caráter sagrado e passando a saciar somente os prazeres de quem os assistia.
Bibliografia:
DIAS, Anderson. Política do Pão e Circo. Disponível em
http://www.parafrasear.net/2007/11/poltica-do-po-e-circo.html.

Professores de Utah são treinados a usar arma após massacre nos EUA

Atirador invadiu escola em Connecticut e matou 26 pessoas - 20 crianças.
Cerca de 200 professores receberam instruções sobre uso de armas.

Da Reuters

Kasey Hansen, uma professora de educação especial de Salt Lake City, no Estado norte-americano de Utah, disse que levaria um tiro por qualquer um de seus alunos, mas, se estivesse diante de um homem armado ameaçando sua classe, ela preferiria ser capaz de reagir atirando.

Na quinta-feira, ela era um dos 200 professores de Utah que se reuniram em uma arena de esportes para receber instrução sobre o manuseio de armas de fogo, dada por ativistas pró-armas, segundo os quais os educadores armados poderiam ter uma chance de impedir tiroteios fatais e indiscriminados nas escolas.
O evento foi organizado pelo Conselho do Tiro Esportivo de Utah, em resposta aos disparos de um atirador em Newtown, no Estado de Connecticut, este mês, que mataram 20 crianças e seis funcionários da escola Sandy Hook.
Professora recebe treinamento para usar armas em Utah, nos EUA (Foto: AFP) 
Professora recebe treinamento para usar armas em Utah, nos EUA (Foto: AFP)
O conselho diz que normalmente atrai cerca de 16 professores a cada ano para os seus cursos de formação para armas que o cidadão tem direito de portar em público. Mas o evento de quinta-feira perto de Salt Lake City, organizado especialmente para os educadores após o massacre de Newtown, atraiu o interesse de centenas de pessoas, e a classe foi restrita a 200 por causa de limitações de espaço.
"Sinto que eu levaria um tiro por qualquer aluno no distrito escolar", afirmou Kasey, professora de educação especial em uma escola de um distrito de Salt Lake City, que falou à Reuters após a sessão de treinamento.
"Se nós um dia tivermos de enfrentar um atirador como o de Connecticut, estarei totalmente preparada para responder com a minha arma", disse ela, acrescentando que planeja comprar uma arma em breve e levá-la para o trabalho.
O massacre de Newtown reacendeu um debate nacional sobre segurança armada. O presidente Barack Obama indicou que dará apoio ao restabelecimento de uma proibição nacional de armas como fuzis e instou o Congresso a agir. A Associação Nacional do Rifle (NRA, na sigla em inglês) defendeu a colocação de guardas armados nas escolas e rejeita novas medidas de controle de armas.
A Associação Nacional de Educação e algumas autoridades do setor escolar criticaram a atitude da NRA, mas a entidade recebeu uma recepção calorosa em algumas partes do oeste dos EUA, onde a caça e as armas predominam.
Utah é um dos poucos Estados que permitem que pessoas com porte de arma a carreguem em instalações escolares, segundo a Conferência Nacional de Legislaturas Estaduais.
No Arizona, o procurador-geral Tom Horne entrou na quarta-feira no debate sobre a segurança escolar ao propor permissão para qualquer escola treinar e armar seu diretor ou outro membro da equipe. O plano, apoiado por pelo menos três magistrados, exigiria a aprovação pelo Legislativo e o governador republicano do Estado, Jan Brewer.

2013 vai ser 'ano de colheita', diz Mantega sobre o PIB

Ministro da Fazenda nega que haja contradição com o BC sobre o dólar.
Mantega confirmou que há 'válvula de escape' no superávit primário.

Alexandro Martello Do G1, em Brasília

 Após um crescimento menor que o esperado neste ano, 2013 será um ano de "colheita" em termos de resultados econômicos, de acordo com análise feita pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, em entrevista ao G1.
"2011 e 2012 foram anos de plantio. 2013 vai ser um ano de colheita dessa situação que coloca a economia brasileira em situação mais favorável", declarou na tarde desta quinta-feira (27). Parte da entrevista foi ao ar no mesmo dia, com a informação de Mantega de que as taxas de juros dos bancos públicos continuarão sendo reduzidas em 2013, e a manutenção da estimativa de alta do PIB da ordem de 4% para 2013.
"A maior parte desses estímulos [ao consumo] já foi feita. Inclusive, procuramos no final deste ano definir os parâmetros para 2013. Já definimos as taxas do BNDES para o ano todo de 2013, definimos o que vai acontecer com o IPI de carros, móveis, linha branca e material de construção. Nós vamos dar continuidade à desoneração da folha. Em 2013, vai implicar uma desoneração de R$ 16 bilhões. Poderemos ampliar para outros setores", disse o ministro.

Mantega também lembrou que está prevista redução no preço da energia elétrica em 2013, além das concessões de estradas, de ferrovias, e do dólar mais alto que R$ 2 – acima dos R$ 1,65 do início deste ano, e da forte redução dos juros efetuada pelo BC ao longo dos últimos meses – fixando a taxa na mínima histórica de 7,25% ao ano. "O ano de 2013 vai ser de grande expansão econômica", acrescentou.
Previsões econômicas
Assim como neste ano, Mantega também estava otimista no fim de 2011. Naquele momento, ele previa um crescimento acima de 4% para o PIB de 2012. As últimas estimativas do mercado financeiro apontam, porém, para um crescimento de cerca de 1% neste ano – fator que levou o ministro a ser criticado por publicações estrangeiras, como a revista 'The Economist', que sugeriu sua demissão.
"No crescimento, nós estamos sujeitos a intempéries. Por exemplo, quando há uma crise internacional, todas as previsões vão por água abaixo. Não só nossas, mas as de todo mundo. Ninguém acerta. Em 2009, a economia mundial deu uma mergulhada. Em anos de crise, as previsões se tornam mais instáveis", declarou Mantega, que foi novamente "confirmado" no cargo pela presidente Dilma Rousseff nesta quinta-feira (27).
Dólar
Sobre a política cambial brasileira, o ministro Mantega negou "contradição" com o Banco Central. Segundo ele, as diretrizes são definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) – colegiado formado por Mantega (presidente), pelo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, e pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior.
O ministro tem dado, nas últimas semanas, declarações públicas defendendo a subida recente do dólar, o que confere maior competitividade para a produção nacional, uma vez que as exportações ficam mais baratas e as compras do exterior se tornam mais caras.
Ao mesmo tempo, porém, um dólar mais alto também pode pressionar a inflação. O presidente do BC, Alexandre Tombini, demonstrou tal preocupação durante audiência pública neste mês na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal. O BC, inclusive, agiu oferecendo leilões no mercado futuro quando a moeda norte-americana ultrapassou o patamar de R$ 2,10.
"A política cambial é administrada pelo BC, mas também pelo CMN, do qual eu sou presidente. É o CMN quem estabelece as diretrizes. O câmbio é flutuante. Mas como outros países estão praticando a guerra cambial, ou flutuação suja, nós também tivemos de fazê-lo para nos defender", declarou. Segundo o ministro, o BC tem obrigação de olhar sempre para a inflação. "Ele é o guardião da inflação. Quando o real se desvaloriza, ele causa um pouco de inflação. É verdade. Mas nós temos de olhar para a competitividade da indústria brasileira. Temos de complementar essa visão. Não há contradição [com o BC]", disse ele.
Mantega acrescentou que o câmbio, atualmente, já caminha para um "equilíbrio de forma mais natural". "Excessos de capital especulativo foram coibidos. A própria taxa de juros que caiu para um patamar que já não atrai tanto a arbitragem [ingresso de recursos para lucrar com os juros altos que vigoravam no passado recente]. Temos algumas travas de IOF para derivativos. É suficiente para dar uma estabilidade. Temos feito menos intervenção no câmbio, que já caminha para um equilíbrio natural. As reservas quase não se alteraram neste ano", concluiu Mantega.
Superávit primário com 'válvula de escape'
O ministro Guido Mantega admitiu ainda, ao G1, que a  meta de superávit primário (economia feita para pagar juros da dívida pública) de 2013, assim como neste ano, conta com uma "válvula de escape" – que é justamente a previsão, contida no orçamento do ano que vem, de que R$ 25 bilhões poderão ser abatidos da meta por conta de investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
"Quando eu anunciei o orçamento de 2013, colocamos lá um abatimento de R$ 25 bilhões por conta de desoneração e investimento. Já está previsto, se necessário for, o abatimento. Já está lá [no orçamento]. Assim como está para este ano. É uma válvula de escape", declarou o ministro da Fazenda. Em 2012, o governo já admitiu que a chamada "meta cheia" de superávit primário não será atingida.
Segundo ele, o governo continuará perseguindo a "solidez fiscal", por meio da contenção de despesas de custeio como forma de permitir um crescimento maior dos investimentos. "Vamos aumentar o investimento público no ano que vem. É por isso que existe essa possibilidade de abater [os gastos do PAC em até R$ 25 bilhões]. Abater o investimento, ou desoneração, todo mundo concorda. Ninguém é contra. Não foi o gasto do governo que levou ao não cumprimento da meta", afirmou Mantega.
O ministro afirmou que o superávit primário do Brasil é um dos maiores do mundo, mesmo quando há abatimento de parte dos gastos do PAC. "Quando olha para o resultado fiscal, não é só o primário que tem de olhar. Você tem o [resultado] nominal [que não exclui gastos com juros] e a dívida. A dívida está caindo e continuará caindo. Este ano vamos terminar com uma dívida menor do que o ano passado", acrescentou.
Reformas estruturais
O ministro da Fazenda informou que o governo trabalhará, principalmente, com duas reformas neste ano: a do ICMS interestadual, cuja proposta já foi entregue ao Senado Federal, e a do PIS e da Cofins.
"Estamos dando andamento ao que talvez seja a maior reforma tributária já feita. O ICMS é um incômodo para todos os empresários. Temos condições de aprovar essa reforma no primeiro semestre do próximo ano. E o PIS e Cofins precisa ser melhorado. Se conseguirmos ICMS, PIS e Cofins, será um grande avanço. Teremos feito a reforma da política monetária [redução dos juros pelo BC], que era crucial, uma grande reforma tributária, com redução de custo de infraestrutura e energia. O Brasil terá condições de competitividade como nunca teve em sua história", afirmou o ministro.
Para tentar reformar as regras do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o governo federal alterou sua proposta inicial, concedendo mais prazo aos estados para que seja reduzida a alíquota interestadual para 4%, além de aumentar os recursos do fundo de desenvolvimento regional e de permitir exceções (com ICMS interestadual mais alto, para a Zona Franca de Manaus e para o Mato Grosso do Sul, este último por conta do gás boliviano).

Sete juízes foram aposentados pelo CNJ em 2012 por suspeita de fraudes

Aposentadoria é punição máxima; outros 4 foram removidos ou censurados.
Atualmente, há 26 processos abertos no CNJ para investigar magistrados.

Mariana Oliveira Do G1, em Brasília
Durante o ano de 2012, sete juízes suspeitos de irregularidades como venda de sentenças e favorecimento indevido foram aposentados compulsoriamente após processos abertos no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), segundo balanço obtido pelo G1.
A aposentadoria compulsória, quando o juiz perde o cargo e continua recebendo uma parte de seu salário, é a punição máxima permitida para magistrados na esfera administrativa. Caso haja processo judicial, o juiz pode ser exonerado e perder o cargo ou ter a aposentadoria cassada.
O ideal seria que fosse zero [o número de magistrados envolvidos com irregularidades], mas para isso teríamos que ter anjos no lugar de juízes. Juiz é ser humano, e o ser humano sempre vai errar"
Nelson Calandra, presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB)
Outros dois juízes foram punidos em 2012 pelo plenário do CNJ com remoção compulsória (quando o juiz é transferido para outro local) e dois com censura.
Além desses 11 punidos, outros seis magistrados foram afastados preventivamente de suas funções em 2012 em razão da abertura de investigações após suspeitas de irregularidades – dois do Rio Grande do Norte, dois de Tocantins, um do Piauí e um do Ceará.
Atualmente, há 26 processos administrativos (PADs) abertos na Corregedoria do CNJ para investigar juízes, num universo de pouco mais de 20 mil juízes no país – segundo dados da publicação "Justiça em Números". Ao todo, entraram no conselho 7.797 processos, relacionados a pedidos de providências, de sindicâncias, representações, entre outros.
Para o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Nelson Calandra, o número de magistrados aposentados compulsoriamente é baixo considerando a quantidade de juízes no Brasil.
"[A quantidade ] é infinitamente pequena considerando o tamanho do Brasil, com mais de 20 milhões de casos julgados durante o ano. Não há número expressivo de magistrados com conduta irregular, até porque a magistratura não é concebida nem engendrada para dar errado. O concurso é dificílimo, se exige de um juiz mais do que ficha limpa, coração para magistratura. É muito raro termos caso de corrupção envolvendo magistrados", disse Calandra.
Para ele, a pena de aposentadoria compulsória não é "branda". "Para nós, juízes, a expulsão da carreira por aposentadoria compulsória é uma etapa de outro processo, o judicial por perda do cargo e cassação da aposentadoria. Eu acho que isso é extremamente degradante, pena violentíssima."
Segundo o presidente da AMB, é difícil atingir o "ideal" de "zero" magistrados envolvidos com irregularidades. "O ideal seria que fosse zero, mas para isso teríamos que ter anjos no lugar de juízes. Juiz é ser humano, e o ser humano sempre vai errar."
Nelson Calandra destacou que o CNJ tem feito um bom papel, além da atuação das corregedorias, e tem mostrado que "não há caixa preta" no Judiciário.

Casos concretos
Entre os casos de aposentadoria compulsória está o de uma desembargadora do Tribunal de Justiça de Tocantins, suspeita de integrar um esquema de venda de sentenças judiciais e de se aproveitar de pagamentos de precatórios (dívidas públicas resultantes de processos judiciais).
Outro desembargador, Edgard Antônio Lippmann Júnior, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), também foi acusado de integrar um esquema de venda de sentenças em 2003. Segundo o CNJ, ele vendeu uma liminar que possibilitou a reabertura de uma casa de bingo no Paraná em troca de vantagens financeiras.

Em nota divulgada à época, o desembargador argumentou que as acusações foram baseadas em delações premiadas e boatos e que a movimentação financeira considerada irregular ocorreu devido a negociações imobiliárias.
No Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o desembargador Roberto Wider foi aposentado após ser acusado de favorecer um lobista. Entre as irregularidades estavam a nomeação para cartórios, sem concurso, de advogados que atuavam em escritório do lobista, além de ter oferecido suposta blindagem a candidatos em eleições. Wider negou todas as acusações.

No Amazonas, uma juíza de Coari foi transferida de sua vara após ser acusada de favorecer um ex-prefeito da cidade.
Segundo o processo, a magistrada Ana Paula Medeiros Braga foi flagrada em escutas telefônicas feitas pela Polícia Federal e autorizadas pela Justiça na Operação Vorax, em 2008, pedindo favores como emprego para o namorado, passagens aéreas e até um camarote para o carnaval do Rio de Janeiro, em troca de decisões judiciais favoráveis.
Na defesa apresentada, a magistrada negou que tenha pedido privilégios e afirmou que as gravações indicavam apenas que ela mantinha uma relação social com as autoridades locais
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...