DAHIANA DIVULGAÇÃO

DAHIANA DIVULGAÇÃO

IPTU 2018

IPTU 2018

BANNER CALENDÁRIO

BANNER CALENDÁRIO

ADAUTO NASCIMENTO

ADAUTO NASCIMENTO

SAAE

SAAE

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Prefeito vistoria recuperação de estrada e ramais na região das Alagoas em Ibicaraí


ASCOM Ibicaraí7
O prefeito Lula Brandão vistoriou na tarde de ontem, quinta-feira, 20, o trabalho de patrolamento e cascalhamento da estrada na região das Alagoas, zona rural de Ibicaraí. 

Na oportunidade o prefeito fiscalizou de perto mais de seis quilômetros de estrada e pequenos ramais que estão sendo beneficiados com patrolamento e cascalho. Brandão estava acompanhado do Controlador Interno e responsável pelas estradas rurais do município, Sóstenes Santos, e do Assessor Especial Charles Novais.

Segundo Sóstenes, o trabalho começou no início da semana e, se tudo correr bem, em mais 72 horas a Infraestrutura entregará a estrada e os ramais prontos. "Tivemos um problema com um pneu da motoniveladora, mas já estamos resolvendo. Tinha trecho de estrada nessa região que não via máquina há mais de 20 anos, conforme relato de moradores. Paralelo a esse trabalho estamos recuperando, alargando e colocando cascalho em um trecho da estrada perto do antigo lixão”, disse Sóstenes.

“Quando visitei essa região percebi o total descaso de gestões anteriores com as estradas. Existiam trechos que só passavam animais ou moto. Prometi que faria e estamos aqui fazendo. Já pedi um cronograma de como anda todas as estradas e pretendo, a cada seis meses, fazer a manutenção dessa e de outras estradas do nosso município. É preciso entender que estrada depende muito do tempo, quando chove fica impossível recuperar e as vezes atrasa, mas estamos fazendo e atendendo a todas as regiões”, disse o prefeito Brandão.

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Beto Richa diz que acusações feitas contra ele por delator da Operação Rádio Patrulha não têm credibilidade

Candidato do PSDB ao Senado pelo Paraná foi entrevistado no Bom Dia Paraná desta quinta-feira (20).

Por RPC Curitiba e G1 PR
O candidato ao Senado pelo Paraná Beto Richa (PSDB) disse, em entrevista ao Bom Dia Paraná nesta quinta-feira (20), que as acusações feitas contra ele pelo empresário e delator da Operação Rádio Patrulha, Tony Garcia, não têm credibilidade.

Beto disse que o relato detectado em conversa telefônica não se tratava de propina e que aguarda da perícia da fita onde foi registrada a gravação entre ele e Tony e Garcia para apurar se há montagem. "Nitidamente, há impressão que tem edição dessa fita", afirmou.

"tico-tico", segundo Beto Richa, é o empresário dizendo que recebeu um pouco de um contrato que estava atrasado.

Nesta semana, a RPC – afiliada da Rede Globo no Paraná – está realizando entrevistas com os candidatos do estado ao Senado. Confira abaixo o cronograma das entrevistas, que seguem até sexta-feira (21).

O ex-governador do Paraná chegou a ficar preso, por quatro dias, por conta da Operação Rádio Patrulha do Ministério Público do Paraná (MP-PR) que investiga crimes em licitações para o reparo de estradas rurais do estado pelo programa Patrulha do Campo. De acordo com Beto Richa, o programa foi um "espetáculo" e beneficiou mais de 200 cidades.

Ao todo, 15 pessoas foram presas em 11 de setembro. Com exceção do ex-chefe de gabinete Deonilson Roldo, que também foi preso no mesmo dia pela Operação Lava Jato, todos os investigados foram soltos.

Beto Richa foi entrevistado no Bom Dia Paraná nesta quinta-feira (20) — Foto: Reprodução/RPC

O ex-governador disse que os contratos das patrulhas foram rompidos pelo governo estadual e que, em época de crise financeira nacional, preferiu investir em Educação, Saúde e Segurança. "Governar é isso, é escolher prioridades", afirmou.

Beto Richa comentou o fato de pessoas próximas a ele – como Deonilson Rodo, que é réu na Lava Jato, entre outros – serem investigadas por corrupção e até mesmo terem se tornado delatoras da Justiça.

"O governo tem 260 mil servidores. Nós temos cargos comissionados, nós temos secretários de estado e ficamos mais de sete anos no governo. Se alguém cometeu algum crime que seja provado, que responda por isso. Eu nunca passei a mão na cabeça de ninguém e sempre deixei claro: não tenho compromisso com erro de ninguém, cada um que se explique, cada um que dê a sua satisfação", disse.

Operação Quadro Negro
Beto Richa afirmou que, em algum momento, a cadeia de fiscalização que deveria existir dentro do governo se rompeu. O desvio na área da Educação, ocorrido durante a gestão dele enquanto governador do Paraná, é investigado pela Operação Quadro Negro.

"Nós nominamos Quadro Negro pelo nosso governo, mandamos para a Polícia Civil do Paraná, e alguns foram presos. Abrimos inquérito de ação por improbidade, e todos tiveram seus bens indisponíveis. Todas as medidas foram tomadas. Começamos as investigações em março de 2015, encaminhamos para o Ministério Público, para o Tribunal de Contas do Estado, para a Controladoria do Estado, e o Ministério Público abriu a investigação em dezembro de 2015. Todas as medidas foram tomadas, eu nunca varri nada para debaixo do tapete e nunca poupei ninguém", explicou.

Candidatura
A coligação de Beto Richa pediu a retirada da candidatura dele ao Senado. Além disso, dois candidatos ao Governo do Paraná e que fizeram parte da gestão de Beto Richa no estado disseram que não querem mais o apoio dele.

"Não há dúvida que esse comportamento é oportunista", afirmou.

Ele garantiu que está no páreo. "Eu vou sozinho, não estou pedindo solidariedade de ninguém", disse.

Operação Rádio Patrulha
Conforme o MP-PR, a Operação Rádio Patulha apura o pagamento de propina a agentes públicos, direcionamento de licitações de empresas, lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça.

Beto Richa é considerado chefe da organização criminosa, que fraudou uma licitação de mais de R$ 70 milhões para manutenção das estradas rurais, em 2011, segundo as investigações.


O ex-governador e candidato ao Senada nega as suspeitas que caem sobre ele.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Dólar opera perto da estabilidade Na véspera, moeda dos EUA fechou em alta de 0,38%, a R$ 4,1417 na venda.

Por G1
19/09/2018 09h04  Atualizado há 4 minutos
Notas de dólar — Foto: Reuters/Dado Ruvic
O dólar passou a cair nesta quarta-feira (19), após fechar na véspera a R$ 4,1417, com o mercado de olho no cenário eleitoral após nova pesquisa Ibope de intenção de voto para as eleições presidenciais.
Às 10h36, a moeda norte-americana caía 0,01%, vendida a R$ 4,1413. Na mínima do dia até o momento, chegou a R$ 4,1338; Na abertura, foi a R$ 4,1763. Já o dólar turismo era negociado a R$ 4,32, sem considerar a cobrança de IOF (tributo). Veja mais cotações.
Na véspera, o dólar fechou em alta de 0,38%, a R$ 4,1417. No mês, a moeda acumula alta de 1,71% e, no ano, tem valorização de 24,99%.
A agenda econômica desta quarta-feira tem como destaque a divulgação da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. A expectativa é de manutenção da taxa básica de juros em 6,5% ao ano.
Variação do dólar em 2018
Diferença entre o dólar turismo e o comercial, considerando valor de fechamento
em R$dólar comercialdólar turismo (sem IOF)12/1210/119/130/18/221/22/313/322/33/412/423/43/514/523/54/613/622/63/712/723/71/810/821/830/811/0933,253,53,7544,254,5
Fonte: Valor PRO
O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 10,9 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de outubro, no total de US$ 9,801 bilhões. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.
Novo patamar e perspectivas
A recente disparada do dólar acontece em meio a incertezas sobre o cenário eleitoral e também ao cenário externo mais turbulento, o que faz aumentar a procura por proteção em dólar.
Investidores têm comprado dólares em resposta a pesquisas que mostram intenção de voto mais baixa para candidatos considerados mais pró-mercado. Na avaliação do mercado, os candidatos que lideram as pesquisas de intenção de voto são menos comprometidos com determinados modelos de reformas econômicas considerados fundamentais para o ajuste das contas públicas.

Na prática, as flutuações atuais ocorrem principalmente conforme cresce a procura pelo dólar: se os investidores veem um futuro mais incerto ou arriscado, buscam comprar dólares como um investimento considerado seguro. E quanto mais interessados no dólar, mais caro ele fica.

Educação Financeira: Quando é hora de comprar dólar?
G1 Economia
--:--/--:--

Educação Financeira: Quando é hora de comprar dólar?

Outro fator que pressiona o câmbio é a elevação das taxas básicas de juros nas economias avançadas como Estados Unidos e União Europeia, o que incentiva a retirada de dólares dos países emergentes. O mercado tem monitorado ainda a guerra comercial entre Estados Unidos e seus parceiros comerciais e a crise em países como Argentina e Turquia.

A visão dos analistas é de que o nervosismo tende a continuar até que se tenha uma maior definição da corrida eleitoral.


A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2018 subiu de R$ 3,80 para R$ 3,83 por dólar, segundo o último boletim Focus do Banco Central. Para o fechamento de 2019, avançou de R$ 3,70 para R$ 3,75 por dólar.

Governo Temer tem aprovação de 4% e reprovação de 78%, diz pesquisa Ibope

Pesquisa ouviu 2.506 pessoas em 177 municípios entre 16 e 18 de setembro; margem de erro é de 2 pontos percentuais. No levantamento anterior, 4% aprovavam Temer e 79% o reprovavam.
Por G1, São Paulo
Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (18) mostra os seguintes percentuais de avaliação do governo do presidente Michel Temer (MDB):

·         Ótimo/bom: 4%
·         Regular: 16%
·         Ruim/péssimo: 78%
·         Não sabe/não respondeu: 2%

Na pesquisa anterior do Ibope, divulgada em junho, 79% consideravam o governo "ruim/péssimo"; 16%, "regular"; e 4% o avaliavam como "bom/ótimo".

Pesquisa Ibope - 18 de setembro - avaliação do governo Temer — Foto: Arte/G1
A pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre domingo (16) e terça-feira (18).
O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

O presidente Michel Temer (MDB), em foto de 5 de setembro, em reunião no Palácio do Planalto, em Brasília — Foto: Francisco Stuckert/Agência F8/Estadão Conteúdo

Maneira de governar
A pesquisa também avaliou a opinião dos entrevistados sobre a maneira de governar do presidente da República:

·         Aprovam: 6%
·         Desaprovam: 90%
·         Não souberam ou não responderam: 4%

No levantamento divulgado em junho, 7% aprovavam e 90% desaprovavam a maneira de governo de Temer.

Sobre a pesquisa
·         Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
·         Entrevistados: 2.506 eleitores em 177 municípios
·         Quando a pesquisa foi feita: 16 e 18 de setembro
·         Registro no TSE: BR-09678/2018
·         Nível de confiança: 95%

·         Contratantes da pesquisa: TV Globo e "O Estado de S.Paulo"

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Prefeito de Ibicaraí e empresário local visitam a sede da Desenbahia em Salvador


 ASCOM IBICARAI

O prefeito de Ibicaraí, Lula Brandão, esteve na manhã de hoje, terça-feira, dia 18, na Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia), situada à rua Ivonne Silveira, 213, Doron – Paralela, Salvador-Bahia, com o empresário Hamilton Farias, proprietário da marca e dos produtos Politos (pipoca, biscoitos, panetone) e o vereador Aroldo Melo. Na oportunidade o prefeito foi recebido pelo presidente da Desenbahia, Francisco Miranda, e oGerente Comercial Marko Svec, que mostraram as instalações da Agência.

A visita do prefeito Brandão, do vereador Aroldão e do empresário Hamilton foi para tratar de assuntos relativos a possíveis investimentos na marca e os produtos Politos, que hoje são produzidos em Ibicaraí, gerando emprego e renda, pagando impostos e movimentando o comércio local.

Segundo o empresário Hamilton Farias, o crescimento de um produto pede capacitação e investimento na marca, nos variados produtos e em equipamentos, é aí que entra a Desenbahia. “A visita foi interessante, onde fomos bem recebidos e tive a oportunidade de mostrar os nossos diversos produtos que são consumidos em nossa região Cacaueira. Nossos números mostram que estamos estabelecidos no mercado regional. Chegou o momento de investir mais nesse projeto. Recebi da Desenbahia a relação de documentos necessários e acredito que em no máximo 90 dias apresento o que foi pedido. A ideia é investir em equipamentos e novos produtos”, disse Hamilton.

“Nossa ideia é fortalecer o empresário local e as nossas pequenas indústrias. O fortalecimento desse setor vai gerar emprego e consequentemente renda para o município. Emprego e renda é a base de toda e qualquer economia. Quando encontramos pequenos empreendedores que geram emprego, nós olhamos para essas pessoas com bons olhos. Espero que a Desenbahia olhe com carinho a marca e os produtos Politos. Ganha a marca, os produtos, o empresário e principalmente o povo que tanto precisa de emprego”, disse o prefeito Lula Brandão.

Agência de Fomento do Estado da Bahia – Desenbahia

Instalada oficialmente em 17 de setembro de 2001, a instituição é oriunda do antigo Desenbanco e tem se mantido atenta aos grandes projetos que possam contribuir para o desenvolvimento socioeconômico do estado. Mas o seu foco está fortemente dirigido ao financiamento das micro, pequenas e médias empresas e ao microcrédito.

Prefeitura de Ibicaraí por meio da secretaria de Assistência Social / CRAS e CREAS realizou o projeto Um Abraço Pela Vida




ASCOM Ibicaraí

Na manhã desta terça-feira (18), foi realizado no Calçadão Dagmar Pinto o projeto Um Abraço Pela Vida, idealizado e executado pela Secretaria de Assistência Social, por meio do CRAS da sede e da Vila e também do CREAS.
Os funcionários (as), do CRAS e CREAS, passaram a manhã, distribuindo abraços para quem transitava pelo Calçadão. Este evento teve a finalidade de lembras o Setembro Amarelo que é o mês de combate ao suicídio.
Muita gente, além do abraço, ainda recebia uma palavra de carinho e conforto, também foram distribuídos panfletos informativos que continham uma mensagem de otimismo e também divulgação dos trabalhos do CRAS e CREAS.
A coordenadora de CRAS José Neri de Santana, a psicóloga Thaise Pascoal falou a cerca do projeto, “estamos aqui trazendo um abraço pela vida para todos que passarem aqui pelo calçadão, acreditamos, que um abraço além de alegrar, pode salvar uma vida estamos no mês de setembro que é o mês de combate ao suicídio, mas é preciso que saibam que lidamos com esta problemática todos os dias no CRAS e no CREAS, estamos aqui para também reforçar junto à comunidade, que temos profissionais preparados para ajudar a quem precisar e a orientação da secretária Alesandra e do prefeito Brandão, é para que todos sejam atendidos e tratados com o máximo de atenção e responsabilidade.” Finalizou Thaise Pascoal.


segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Polícia Civil e MP-RJ prendem 21 suspeitos de integrar quadrilha que fraudava contas bancárias

Por Felipe Freire e Diego Haidar, TV Globo

Vinte e uma pessoas foram presas, na manhã desta segunda-feira (17), por suspeita de participação em uma quadrilha responsável por furtar mais de R$ 30 milhões de contas bancárias em um ano. A segunda fase da Operação Open Doors visa cumprir 43 mandados de prisão e mais de 40 de busca e apreensão em sete estados do país. Ao todo, 237 suspeitos foram denunciados.

Computadores e telefones celulares foram apreendidos na casa de alguns suspeitos presos no Rio de Janeiro. Em Ponta Grossa, no interior do Paraná, foi preso o cantor sertanejo Rick Ribeiro. Ele seria um dos hackers do grupo e usaria o dinheiro das fraudes para financiar seus clipes.

A operação é da Polícia Civil e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

Agentes apreenderam computador e vários itens em uma casa em Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução / TV Globo

No RJ, as ações se concentram em Vargem Grande e no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste; e nos municípios de Barra Mansa, Volta Redonda e Angra dos Reis. Mandados estão sendo cumpridos também em São Paulo, Bahia, Ceará, Santa Catarina, Paraná e Pará.

Os envolvidos responderão por lavagem de dinheiro, furto qualificado e organização criminosa.

Um dos hackers do grupo foi preso em residência de luxo na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

De acordo com as investigações da 90ª DP (Barra Mansa), o grupo tinha como “vítimas” tanto pessoas físicas, quanto grandes empresas.

"Eles se especializaram nesse tipo de golpe através de uma engenharia social. Entravam em contato com as vítimas e, de forma leviana, indicavam certos números para que as vítimas digitassem na barra de rolagem do computador. Dessa forma, eles conseguiam os dados bancários", explicou Ronaldo Brito, delegado da 90ªDP (Barra Mansa).

Segundo a polícia, o grupo atua no Sul Fluminense há mais de uma década, mais precisamente em Barra Mansa. Com acesso a dados cadastrais sigilosos, os suspeitos entravam em contato com as vítimas ou até mesmo departamentos jurídicos de grandes empresas e se passavam por funcionários de bancos.

Casal preso no início da manhã em uma casa em Vargem Grande realizavam fraudes bancárias pela internet — Foto: Reprodução / TV Globo

Daí em diante, os criminosos forjavam um processo de atualização de cadastro. Com direito a número de protocolo, as vítimas eram direcionadas para uma página clonada e “hackers” tinham acesso a dados sigilosos. Em posse de senhas, os golpes levavam no máximo 20 minutos, tempo suficiente para que quantias altas fossem transferidas para diversas contas de “laranjas”.

Outra parte da quadrilha, então, entrava em ação, seguindo até agências bancárias para efetuar saques. Uma grande empresa do ramo de planos de saúde, por exemplo, sofreu golpes estimados em R$ 500 mil.

Os criminosos levavam menos de dez minutos para fazer as transferências. A preferência era por empresas. "Eles possuíam um grupo especializado para abordar pessoas jurídicas e, dessas contas, eles conseguiam arrecadar maiores valores", destacou o delegado.

Os acusados costumavam esbanjar e aplicavam as quantias subtraídas em imóveis e carros de luxo. Dezenas de pessoas, identificadas na investigação, eram usadas para a compra de apartamentos e casas.

Em agosto do ano passado, a Justiça já havia expedido 33 mandados de prisão contra integrantes da quadrilha. Os suspeitos serão indiciados por diversos crimes, entre eles organização criminosa, lavagem de dinheiro e furto qualificado.


Dólar opera em alta, de olho em cenário eleitoral


Por G1

O dólar opera em leve alta nesta segunda-feira (17), com os investidores monitorando as pesquisas eleitorais.

Às 9h45, a moeda norte-americana subia 0,12%, vendida a R$ 4,1720. Veja mais cotações. Na máxima do dia, bateu R$ 4,2036.

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 10,9 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de outubro, no total de US$ 9,801 bilhões. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Na sexta-feira (14), o dólar fechou em queda, em movimento de correção depois de bater na quinta o valor mais alto da história do real. A moeda norte-americana recuou 0,67%, negociada a R$ 4,1669 na venda. Nas casas de câmbio, o dólar turismo encerrou negociado a R$ 4,35, sem cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

No mês de setembro, sobe mais de 2,5%. Desde o início do ano, o dólar avança mais de 26%. Na semana passada, a moeda acumulou alta de 1,72%.

Variação do dólar em 2018
Diferença entre o dólar turismo e o comercial, considerando valor de fechamento
em R$dólar comercialdólar turismo (sem IOF)12/1210/119/130/18/221/22/313/322/33/412/423/43/514/523/54/613/622/63/712/723/71/810/821/830/811/0933,253,53,7544,254,5
Fonte: Valor PRO

Novo patamar e perspectivas
A recente disparada do dólar acontece em meio a incertezas sobre o cenário eleitoral e também ao cenário externo mais turbulento, o que faz aumentar a procura por proteção em dólar.

Investidores têm comprado dólares em resposta a pesquisas que mostram intenção de voto mais baixa para candidatos considerados mais pró-mercado. Na avaliação do mercado, os candidatos que lideram as pesquisas de intenção de voto são menos comprometidos com determinados modelos de reformas econômicas considerados fundamentais para o ajuste das contas públicas.

Na prática, as flutuações atuais ocorrem principalmente conforme cresce a procura pelo dólar: se os investidores veem um futuro mais incerto ou arriscado, buscam comprar dólares como um investimento considerado seguro. E quanto mais interessados no dólar, mais caro ele fica.

Outro fator que pressiona o câmbio é a elevação das taxas básicas de juros nas economias avançadas como Estados Unidos e União Europeia, o que incentiva a retirada de dólares dos países emergentes. O mercado tem monitorado ainda a guerra comercial entre Estados Unidos e seus parceiros comerciais e a crise em países como Argentina e Turquia.

A visão dos analistas é de que o nervosismo tende a continuar até que se tenha uma maior definição da corrida eleitoral.

A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2018 subiu de R$ 3,80 para R$ 3,83 por dólar, segundo o último boletim Focus do Banco Central. Para o fechamento de 2019, avançou de R$ 3,70 para R$ 3,75 por dólar.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...